Vacinação Acre

O total de 381.106 vacinados equivale a:

61,00%

Vacinação Alagoas

O total de 1.409.443 vacinados equivale a:

56,81%

Vacinação Amazonas

O total de 1.993.833 vacinados equivale a:

68,60%

Vacinação Amapá

O total de 313.701 vacinados equivale a:

52,50%

Vacinação Bahia

O total de 6.745.296 vacinados equivale a:

58,31%

Vacinação Ceará

O total de 4.088.146 vacinados equivale a:

56,97%

Vacinação Distrito Federal

O total de 1.485.272 vacinados equivale a:

61,37%

Vacinação Espírito Santo

O total de 2.117.359 vacinados equivale a:

65,14%

Vacinação Goiás

O total de 3.169.095 vacinados equivale a:

59,16%

Vacinação Maranhão

O total de 3.098.223 vacinados equivale a:

60,84%

Vacinação Minas Gerais

O total de 10.800.365 vacinados equivale a:

62,57%

Vacinação Mato Grosso do Sul

O total de 1.685.766 vacinados equivale a:

69,88%

Vacinação Mato Grosso

O total de 1.628.225 vacinados equivale a:

59,92%

Vacinação Pará

O total de 3.224.656 vacinados equivale a:

52,86%

Vacinação Paraíba

O total de 1.953.726 vacinados equivale a:

63,36%

Vacinação Pernambuco

O total de 4.544.813 vacinados equivale a:

59,82%

Vacinação Piauí

O total de 1.433.534 vacinados equivale a:

57,53%

Vacinação Paraná

O total de 6.229.909 vacinados equivale a:

67,34%

Vacinação Rio de Janeiro

O total de 8.240.242 vacinados equivale a:

57,05%

Vacinação Rio Grande do Norte

O total de 1.674.266 vacinados equivale a:

61,30%

Vacinação Rondônia

O total de 756.042 vacinados equivale a:

57,65%

Vacinação Roraima

O total de 252.137 vacinados equivale a:

57,11%

Vacinação Rio Grande do Sul

O total de 6.614.732 vacinados equivale a:

70,07%

Vacinação Santa Catarina

O total de 3.711.660 vacinados equivale a:

65,44%

Vacinação Sergipe

O total de 1.107.111 vacinados equivale a:

62,67%

Vacinação São Paulo

O total de 28.633.042 vacinados equivale a:

76,45%

Vacinação Tocantins

O total de 661.793 vacinados equivale a:

55,46%

Vacinação Brasil

O total de 107.953.493 vacinados equivale a:

64,66%

Vacinômetro covid-19

Atualmente no mundo, existem 90 vacinas em fase de teste em humanos, sendo que, destas, 77 estão em fase de análise pré-clínica para realização de testes em animais e 27 já chegaram ao estágio final de testagem.

No Brasil, o Ministério da Saúde firmou parceria com as seguintes empresas farmacêuticas: AstraZeneca/Oxford, Butantan/CoronaVac, Pfizer/BioNTech, Moderna e Janssen. Estas já receberam o registro definitivo pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Além disso, o País participa do consórcio de vacinas conhecido como Covax Facility, da Organização Mundial da Saúde (OMS), que distribuirá o total de 42,5 milhões de doses, porém ainda segue sem cronograma definido para a entrega.

Confira quais são as vacinas contra o novo coronavírus que estão sendo aplicadas no Brasil e em qual etapa da campanha de vacinação se encontra o seu Estado.

A seguir, conheça as diferenças e as taxas de eficácia de cada vacina oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Vacinas usadas no Brasil

AstraZeneca /Oxford

EFICÁCIA:

76%

DOSE:

duas

ARMAZENAMENTO:

refrigerador.

Sinovac /Butantan

EFICÁCIA:

50,65%

DOSE:

duas, com duas semanas de intervalo.

ARMAZENAMENTO:

refrigerador.

Pfizer /BioNTech

EFICÁCIA:

91,3%

DOSE:

duas, com três semanas de intervalo.

ARMAZENAMENTO:

freezer, entre -25 °C e -15 °C.

Moderna

EFICÁCIA:

mais de 90%

DOSE:

duas, com quatro semanas de intervalo.

ARMAZENAMENTO:

30 dias com refrigeração, seis meses a -20 °C.

Janssen

EFICÁCIA:

68%

DOSE:

única

ARMAZENAMENTO:

até dois anos congelada a -20 °C e até três meses refrigerado a 2–8 °C.

Perguntas frequentes

Até 2,4 milhões de brasileiros.

Sim, todas as vacinas contra a covid-19 que foram aprovadas pela Anvisa passaram por uma série de testes rigorosos para garantir segurança à população. Nenhuma vacina é distribuída antes que sua eficácia e segurança seja comprovada.

Em maio de 2021, três vacinas contra a covid-19 foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e estão sendo distribuídas para a população brasileira: CoronaVac (Sinovac/Butantan), Pfizer (BioNTech) e Covishield (Oxford/AstraZeneca/Fiocruz). A vacina do laboratório Janssen (Johnson & Johnson) já foi aprovada pela Anvisa para uso emergencial, mas não está sendo aplicada no Brasil.

A única contraindicação da vacina contra a covid-19 são pessoas com alergia a alguma substância utilizada em sua composição. Além disso, ainda não foi comprovada a eficácia da vacina em menores de 18 anos. Fora esses casos, não há outras contraindicações para a vacina contra o novo coronavírus.

Sim, porém são efeitos leves que passam após alguns dias da vacinação. Algumas das reações mais comuns à vacina contra a covid-19 são dor ou vermelhidão no local da injeção, dor muscular e de cabeça, febre baixa e fadiga.

As vacinas contra a covid-19 são distribuídas gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), seguindo o cronograma do Plano Nacional de Vacinação.

Sim, quem já teve covid-19 pode e deve se vacinar. Porém, é recomendado aguardar um mês desde o início dos sintomas antes de tomar a vacina.

Por enquanto, menores de 18 anos não estão contemplados no Plano Nacional de Vacinação, pela falta de estudos que comprovem a eficácia e a segurança da vacina nesse público. Enquanto os laboratórios realizam novos estudos clínicos com crianças e adolescentes, é preciso que essa parte da população continue seguindo as medidas de segurança.

De acordo com o Ministério da Saúde, gestantes, puérperas e lactantes podem se vacinar contra a covid-19 no Brasil, desde que pertençam a um grupo prioritário de vacinação. Porém, é importante que um médico avalie cada caso individualmente e oriente seus pacientes em relação à vacina. Além disso, não há liberação do uso da vacina AstraZeneca em grávidas, como consta na bula.