Os principais desafios do atendimento psicológico online

15 de agosto de 2020 5 mins. de leitura
Flexibilização surgiu como alternativa para prestar assistência à população durante a pandemia

Em março de 2020, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) publicou a Resolução n. 04/2020, que regulamenta a prestação de serviços psicológicos por meio de Tecnologia da Informação e da Comunicação (TIC) em tempos de pandemia. O objetivo é suspender temporariamente algumas das limitações da Resolução. CFP nº 11/2018, que regulamentou a prestação de serviços psicológicos online. A flexibilização busca evitar a descontinuidade da assistência à população durante o período da crise sanitária provocada pela covid-19.

Conheça o Summit Saúde, um evento que reúne as maiores autoridades do Brasil nas áreas médica e hospitalar.

Segundo o CFP, a iniciativa pretende dar suporte aos psicólogos em um momento em que a demanda por atendimento é crescente e a população atendida não pode comparecer aos consultórios em virtude das regras de confinamento social e por pertencerem aos grupos de risco, quando é o caso.

Dessa forma, o psicólogo deve analisar a viabilidade do atendimento à distância, dentro da sua autonomia e responsabilidade profissional. O paciente precisa estar presente em tal decisão, uma vez que a alteração das características da prestação do serviço afeta o acordo entre ambos.

A psicologia online funciona?

A psicoterapia online é praticada no exterior desde o início dos anos 2000. (Fonte: Shutterstock)

A psicoterapia online já é praticada no exterior desde o começo dos anos 2000, com resultados bastante positivos. Diversos estudos para avaliar a efetividade do sistema têm se mostrado favoráveis à prática, embora ainda ocorram questionamentos a respeito do empobrecimento da relação terapêutica e questões éticas sobre a confidencialidade.

Pesquisas realizadas com grupos representativos não revelaram grandes prejuízos à relação terapêutica como se pensava, assim como a efetividade dos tratamentos tem apresentado efeitos assertivos. As questões legais e éticas são tratadas à medida que surgem, com diretrizes claras por parte dos órgãos reguladores e treinamento adequado.

Há diferença entre atendimento online e presencial?

Teoricamente, não há nenhum tipo de diferença entre as duas formas de atendimento. Do mesmo modo que ocorre na consulta realizada presencialmente, a prática através das TIC segue as especificações técnicas e éticas próprias do atendimento psicológico tradicional.

Em termos práticos, a essência da relação terapêutica não sofre alterações; o vínculo estabelecido e o acolhimento não mudam, assim como as intervenções, o feedback, a palavra, a escuta e a troca permanecem inalterados durante a terapia online. Contudo, a sua viabilização demanda alguns cuidados específicos para que possa ocorrer de forma segura, eficaz e ética no ambiente virtual. Algumas pessoas podem apresentar limitações para uso de equipamentos na área auditiva, visual ou motora e até ansiedade para lidar com computadores.

Embora tais restrições não sejam intransponíveis, devem ser levadas em conta para que técnicas adaptativas possam ser utilizadas, o que demanda pesquisas na área. Da mesma forma, a presença de alguns diagnósticos específicos, como sintomas psicóticos ou uso de substâncias, pode ser um limitador para a condução da terapia online.

Como se preparar para um atendimento virtual?

O espaço deve ser preparado pelo paciente. (Fonte: Shutterstock)

A pessoa que vai receber atendimento na modalidade virtual precisa assumir um papel mais ativo e cooperativo nesse processo de tratamento do que na forma presencial. Primeiramente, o contato com o terapeuta deve ocorrer em um local em que a privacidade possa ser garantida. Algumas distrações também devem ser evitadas, como observar animais e crianças, fumar ou comer durante as sessões.

Como ocorre no atendimento presencial, é preciso desligar as notificações e os alertas de mensagem via celular. O espaço, no atendimento online, deve ser preparado pelo paciente, que deverá ter à mão lenços de papel e água. Dificuldades técnicas que possam surgir devem ser corrigidas, o que recomenda a fixação de alternativas viáveis.

Se o atendimento ocorrer através de vídeo, recomenda-se o uso de fones de ouvido, para reduzir o barulho externo e garantir a segurança do que é falado. A privacidade é um requisito fundamental, motivo pelo qual se deve evitar utilizar computadores de acesso coletivo. Todos os aplicativos e aparelhos em que são realizados os atendimentos devem ser protegidos por senhas.

Como fica a saúde mental dos psicólogos?

Como qualquer profissional de saúde que trata e auxilia pessoas em momentos de crise, o psicólogo está enfrentando situações de estresse no dia a dia, com afastamento de amigos e familiares e todos os impactos dessas situações.

Da mesma forma que qualquer pessoa, o terapeuta pode recorrer a um profissional para fazer terapia e conseguir absorver todas as informações relativas ao momento atual, lidar com suas questões pessoais e encarar o desafio de aperfeiçoar uma nova ferramenta que pode funcionar como importante suporte psicossocial.

Acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: CFP – Conselho Federal de Psicologia e Fundação Oswaldo Cruz.

Gostou? Compartilhe!