Como evitar novas pandemias de acordo com a OMS

12 de maio de 2021 3 mins. de leitura
Painel independente sugere medidas de enfrentamento à pandemia da covid-19 e destaca a necessidade de estratégias explícitas

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

Nesta quarta-feira (11), a Organização Mundial da Saúde (OMS) apresentou um relatório para prevenir futuras pandemias. No documento, junto a outros dados, a entidade listou ações para evitar o surgimento de novas ameaças semelhantes à covid-19, que, até o momento, segundo levantamento do Google Notícias, causou mais de 3,2 milhões de mortes e atingiu mais de 156 milhões de pessoas no mundo. Dentre as recomendações estão: 

  • a criação de um conselho global capaz de responsabilizar países pelas medidas que colocam em ação; 
  • a implementação de um sistema de vigilância com o poder de publicar informações a respeito de doenças; 
  • a classificação de vacinas como bens públicos;
  • a instituição de mecanismos de financiamento voltados a situações do tipo.
Recomendações visam à prevenção do surgimento de novas ameaças. (Fonte: Shutterstock)
Recomendações visam à prevenção do surgimento de novas ameaças. (Fonte: Shutterstock)

Além disso, houve um pedido imediato para que integrantes do G7, grupo dos países mais industrializados do mundo, constituído por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, liberem 60% da soma de US$ 19 bilhões solicitados para o programa Covax ainda em 2021, fornecendo apoio a regiões menos desenvolvidas economicamente.

“A pandemia da covid-19 é um indicativo do quão vulnerável e frágil nosso mundo é. É a pior crise de saúde e socioeconômica de que a sociedade se lembra, uma catástrofe em todos os níveis. A ação imediata para encerrar a covid-19 deve ser orientada por estratégias explícitas com marcos mensuráveis”, indica o documento Covid-19: Make it the Last Pandemic.

OMS solicita que nações mais ricas apoiem regiões mais vulneráveis. (Fonte: Shutterstock)
OMS solicita que nações mais ricas apoiem regiões mais vulneráveis. (Fonte: Shutterstock)

Objetivos claros

Quanto à questão atual, o painel sugere a aplicação rigorosa e sistemática de medidas de saúde pública não farmacêuticas para a contenção da transmissão do novo coronavírus e a concessão – por nações com programas de imunização consolidados – de ao menos 1 bilhão de doses de vacinas a 92 países de baixa e média rendas do Covax até 1° de setembro de 2021 e 2 bilhões até metade de 2022.

Foram colocados em pauta também os acordos sobre licenciamento voluntário e transferência de tecnologias de produção de imunizantes, assim como renúncia intelectual de direitos de propriedade em ações que não sejam concretizadas em três meses.

“A OMS deve desenvolver imediatamente um roteiro para cenários de curto prazo e cenários de três meses para a resposta de médio e longo prazos à covid-19, com objetivos claros, metas e marcos para orientar e monitorar a implementação dos esforços nacionais e globais para encerrar a pandemia”, conforme o relatório. 

Não perca nenhuma novidade sobre a área da saúde no Brasil e no mundo. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: COVID-19: Make it the Last Pandemic, Google Notícias.

Este conteúdo foi útil para você?

92380cookie-checkComo evitar novas pandemias de acordo com a OMS