Covid-19: novo intervalo para aplicação da dose de reforço

17 de novembro de 2021 3 mins. de leitura
Ministério da Saúde fez atualizações das diretrizes para a aplicação das doses de reforço da vacina contra a covid-19

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

O Ministério da Saúde informou na última terça-feira (16) novas regras para a aplicação das doses de reforço da vacina contra a covid-19. Segundo o ministro Marcelo Queiroga, as doses agora devem ser aplicadas após cinco meses da imunização completa (com duas doses). Até então, a indicação era de que o reforço fosse oferecido seis meses após a segunda dose.

Dose de reforço fica liberada para todos os maiores de 18 anos. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)
Dose de reforço fica liberada para todos os maiores de 18 anos. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

As novas diretrizes foram divulgadas no evento do lançamento da campanha Mega Vacinação, que pretende estimular a população a tomar todas as doses recomendadas e completar o ciclo da imunização. Segundo Queiroga, as alterações foram feitas após a análise de novos estudos que sugerem maior eficácia do reforço quando aplicado mais cedo.

Quem será o público-alvo contemplado?

A partir de agora, maiores de 18 anos devem receber a dose de reforço, e a queda no intervalo vale para todos. Antes, apenas idosos, trabalhadores da saúde ou imunodeficientes estavam recebendo a terceira dose.

Quando começará a ser usado o novo intervalo?

A nova diretriz entra em vigor a partir da divulgação. Cabe agora às secretarias de saúde dos estados e dos municípios a organização da nova aplicação. Segundo o Ministério da Saúde, existem doses suficientes para completar todo o esquema vacinal.

A pasta ainda informou que não haverá um calendário específico para as doses de reforço; por isso, assim que se passem cinco meses da aplicação da segunda dose, os cidadãos podem procurar um posto de saúde para receber a dose de reforço.

Segundo estimativas, 12,47 milhões de pessoas ficam aptas a receber o imunizante. Além disso, pouco mais de 20 milhões de pessoas não retornaram para a segunda dose. A recomendação é que toda a população respeite as orientações de segurança e siga o calendário de vacinação corretamente.

Mais de 20 milhões de pessoas perderam o prazo para tomar a segunda dose da vacina. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)
Mais de 20 milhões de pessoas perderam o prazo para tomar a segunda dose da vacina. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Quais serão as vacinas aplicadas?

O Ministério da Saúde indicou que a dose de reforço será preferencialmente com um imunizante diferente do que foi aplicado nas duas primeiras. Apesar dessa diretriz, caso haja desabastecimento, a terceira dose deverá ser feita com o imunizante que estiver disponível.

Alteração no cronograma da vacina da Janssen

Queiroga ainda anunciou uma alteração no planejamento de aplicação da vacina da Janssen, que até então era oferecida em dose única. Segundo o ministro, novos estudos analisados comprovam que a vacina precisa de uma segunda dose (com o mesmo imunizante), que deve ser aplicada dois meses após a primeira. Quem recebeu a vacina da Janssen também fica apto a receber a dose de reforço cinco meses após a aplicação da segunda dose, recebendo um imunizante diferente.

Fonte: Agência Brasil, Diário do Nordeste, Agência Brasília.

Este conteúdo foi útil para você?

110210cookie-checkCovid-19: novo intervalo para aplicação da dose de reforço