O que causa desidratação em idosos?

5 de março de 2020 3 mins. de leitura
A desidratação atinge pessoas de todas as idades, mas suas consequências podem ser mais graves na terceira idade

A desidratação pode atingir pessoas de todas as idades. Em idosos, no entanto, ela pode ser mais perigosa, manifestando-se com maior frequência, pois o organismo de pessoas com mais de 65 anos de idade têm algumas particularidades que podem aumentar a perda de líquidos.

Por exemplo, idosos costumam sentir mais as variações de temperatura, tendo frio ou calor em excesso. Isso acontece porque a pele se torna mais fina com o passar do tempo, o que permite perda maior de líquidos. Como consequência desse desequilíbrio da temperatura corporal, a sensibilidade dos receptores que controlam a sede é alterada. Então, ao perder líquidos e ingerir menos água, os idosos ficam mais sujeitos à desidratação.

Mas esses não são os únicos fatores que influenciam a condição. Medicamentos para diversos problemas de saúde são diuréticos e fazem com que os idosos percam ainda mais líquidos. De acordo com o Ministério da Saúde, a desidratação pode causar problemas sérios, desde tonturas até pedras nos rins e perda da função cognitiva.

Como reconhecer os sinais de desidratação?

Em alguns casos, só se percebe a desidratação quando ela já é um quadro grave, por conta de um desmaio ou de um episódio de queda da pressão arterial, por exemplo — nesses casos, o idoso deve receber assistência médica o quanto antes.

Mas outros indicativos da desidratação costumam ser perceptíveis na aparência física, como olhos fundos, olheiras, boca e pele secas. Além disso, tornam-se frequentes o cansaço excessivo, a tontura e a fraqueza. Em alguns casos, a desidratação também pode causar aumento da frequência cardíaca.

(Fonte: Shutterstock)

Como evitar

Idosos que não costumam beber muita água também costumam ser relutantes quanto a isso, afinal não sentem tanta sede. Sendo assim, é preciso recorrer a outros métodos para ajudar a prevenir a desidratação. Confira algumas dicas abaixo.

Bebidas variadas

Para aumentar a vontade de ingerir líquidos, vale a pena apostar em opções variadas, como sucos naturais e chás, pois costumam ser mais atrativos do que a água pura.

O preparo de águas saborizadas também pode ser uma boa pedida para sair da rotina, mas é essencial evitar refrigerantes e sucos com altas quantidades de açúcar. É indicado dar preferência a copos e jarras fáceis de segurar, já que a praticidade pode incentivar o consumo dos líquidos.

(Fonte: Shutterstock)

Alimentos hidratantes

Alguns alimentos têm grandes quantidades de água. Frutas como melancia, laranja e melão também são cheias de fibras e vitaminas muito importantes para a saúde; entre os legumes, o chuchu é o mais hidratante. No verão, picolés de frutas podem ser feitos em casa, com água ou água de coco como base, capazes de hidratar enquanto refrescam; no inverno, as sopas são as grandes aliadas da hidratação e nutrição.

Poucas quantidades

Muitas vezes, ver um copo cheio de água pode deixar alguém relutante em beber, por parecer uma quantidade grande demais. Copos pequenos, com quantidades moderadas, podem ser mais convidativos e até incentivar os idosos a tomarem água mais vezes ao dia. Por fim, é importante salientar que a desidratação contínua pode causar diversos problemas de saúde. Se houver suspeita de desidratação, entre em contato com um médico imediatamente.

Fontes: Unimed Fortaleza, Ministério da Saúde.

Gostou? Compartilhe!