Quais foram as pesquisas ganhadoras do Nobel de Medicina 2021?

19 de novembro de 2021 3 mins. de leitura
A Academia Real das Ciências da Suécia anunciou em outubro os ganhadores do Prêmio Nobel de Medicina

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

O Prêmio Nobel de Medicina de 2021 foi concedido a dois cientistas, por duas pesquisas diferentes com um objeto em comum: a interação do sistema nervoso com estímulos de toque e temperatura. As duas pesquisas ajudam a responder uma pergunta que tem intrigado cientistas e médicos do mundo todo: como experimentamos e sentimos o mundo ao nosso redor? 

David Julius e Ardem Patapoutian, ganhadores do nobel medicina 2021. (Fonte: Nobel Prize.org/Reprodução)
David Julius e Ardem Patapoutian, ganhadores do Nobel de Medicina 2021. (Fonte: Nobel Prize.org/Reprodução)

O caminho para a resposta não era segredo, através do sistema nervoso que converte o toque em estímulos elétricos. Mas o que as pesquisas descobriram foi o modo como isso ocorre.

As pesquisas

A pesquisa de David Julius, de 65 anos, descobriu um novo sensor nas terminações nervosas humanas que respondem ao calor. Para fazer suas experiências, o fisiologista e professor da Universidade da Califórnia utilizou um composto da pimenta-malagueta, chamado capsaicina, para induzir uma sensação de queimação.

REsumo esquemático da pesquisa de David Julius. (Fonte: Nobel Prize.org/Reprodução)
Resumo esquemático da pesquisa de David Julius. (Fonte: Nobel Prize.org/Reprodução)

Já a pesquisa do libanês, Ardem Patapoutian, isolou células em um tubo de ensaio e fez experimentos que encontraram receptores que reagem à pressão mecânica. Estes receptores estão presentes tanto na pele como em órgãos internos, e enviam sinais elétricos por terminações nervosas que são interpretados pelo cérebro. Patapoutian tem 53 anos e atualmente trabalha nos Estados Unidos como professor do Instituto de Pesquisa Scripps.

Resumo Esquemático da pesquisa de Ardem Patapoutian. (Fonte: Nobel Prize.org/Reprodução)
Resumo Esquemático da pesquisa de Ardem Patapoutian. (Fonte: Nobel Prize.org/Reprodução)

Repercussões das pesquisas

A Assembleia do Nobel ressaltou durante a cerimônia de divulgação dos ganhadores como as pesquisas podem ter grandes repercussões em diversas áreas médicas. Para o Instituto, as descobertas lançaram uma série de pesquisas que aumentaram a compreensão sobre como o sistema nervoso sente frio, calor e estímulos mecânicos. Com isso os premiados ajudaram a entender a interação complexa entre o meio ambiente e os sentidos humanos.

Essas pesquisas são promissoras para ajudar a entender e a prevenir ou remediar diversos tipos de dores crônicas, cujo tratamento ainda é um desafio para a medicina, além de poder contribuir para o controle da pressão arterial e de aspectos da respiração.

O Prêmio

O Prêmio Nobel — administrado pela Fundação Nobel — homenageia, desde 1901, a personalidades que realizaram grandes contribuições nas áreas da Química, Física, Medicina, Literatura e no ativismo pela paz mundial. 

O prêmio foi idealizado pelo químico sueco Alfred Nobel (1833-1896) que deixou em seu testamento uma fortuna para ser gerida por instituições suecas e norueguesas que deveriam conceder os prêmios. O Prêmio Nobel é desde então considerado como o mais prestigiado patamar a ser alcançado nas áreas citadas, que mais tarde incluiu também a Economia.

Atualmente, além de conceder uma medalha e um certificado, os laureados também recebem um prêmio em dinheiro. O valor totaliza 10 milhões de coroas suecas, o equivalente a cerca de R$ 6,1 milhões. No caso do Nobel de Medicina de 2021, o dinheiro será dividido entre os dois ganhadores.

Fonte: Olhar Digital, Poder 360, NY Times, Nobel Prize.

Este conteúdo foi útil para você?

109860cookie-checkQuais foram as pesquisas ganhadoras do Nobel de Medicina 2021?