Qual é o futuro da imunização na era pós-pandemia?

18 de outubro de 2021 4 mins. de leitura
Pesquisa com mais de 1,5 mil brasileiros avaliou qual é a percepção da população em relação à vacinação e outros tópicos

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

O Estadão Summit Saúde é o maior evento da área no Brasil. A edição de 2021 acontece de forma online e gratuita entre os dias 18 e 22 de outubro. No primeiro dia de palestras, logo após uma importante discussão sobre o futuro do fornecimento de assistência médica pós-covid, tivemos a apresentação dos resultados de uma pesquisa muito relevante: o futuro da imunização na era pós-pandemia.

O levantamento foi realizado com mais de 1,5 mil pessoas, de todas as classes (A, B e C), regiões e idades, a partir de 16 anos. Os resultados foram apresentados pela gerente de pesquisa de mercado, Ana Cavalcanti, da Offerwise.

Os objetivos desse estudo foram:

  • entender a percepção da aderência às vacinas;
  • mapear a confiança do público em relação à ciência;
  • levantar a opinião pública acerca da obrigatoriedade da vacina;
  • mapear o engajamento da população para futuras medidas de imunização.

Confira as principais perguntas e respostas da pesquisa.

Hábito de vacinação

A maior parte dos entrevistados disse ter o hábito de se vacinar com regularidade.(Fonte: Summit Saúde 2021/Reprodução)
A maior parte dos entrevistados disse ter o hábito de se vacinar com regularidade.(Fonte: Summit Saúde 2021/Reprodução)

A primeira pergunta do questionário dizia respeito ao hábito de se vacinar. A maioria dos entrevistados disse que sim, tem esse hábito, enquanto apenas 3% responderam que não.

Também foi levantado o motivo entre os que se manifestaram negativamente. A falta de confiança nas vacinas, desinteresse, medo de agulha, a falta de tempo, e a crença de que os imunizantes não são eficazes foram alguns dos argumentos apresentados.

Vacinação e ciência

A maioria dos entrevistados disse confiar no papel da vacina e da ciência. (Fonte: Summit Saúde 2021/Reprodução)
A maioria dos entrevistados disse confiar no papel da vacina e da ciência. (Fonte: Summit Saúde 2021/Reprodução)

Outro questionamento é sobre o papel das vacinas na erradicação de doenças do ponto de vista científico. A maior parcela dos entrevistados respondeu positivamente à pergunta, embora 2% desconfiem desse método.

Inscreva-se agora para o mais relevante evento de saúde do Brasil. É online e gratuito!

O restante das pessoas disse não confiar no método, apresentando como argumentos:

  • os interesses ocultos por trás da pandemia e vacinas;
  • ineficácia das vacinas;
  • informações falsas ou pouco claras;
  • velocidade de produção das vacinas;
  • vacinas são contra a vontade de Deus.

Vacina da covid-19

A confiança na vacina da Covid-19 é alta entre os entrevistados. (Fonte: Summit Saúde 2021/Reprodução)
A confiança na vacina da Covid-19 é alta entre os entrevistados. (Fonte: Summit Saúde 2021/Reprodução)

Em se tratando especificamente da vacina contra a covid-19, tivemos um quadro que se assemelha ao anterior, mas com uma tendência maior à desconfiança. Do total, 6% disseram não acreditar na eficácia dos imunizantes criados até agora, apresentando como argumento principal a rapidez com que esses métodos foram criados.

A pesquisa também identificou que a maior parcela dos que desconfiam da vacina da covid-19 pertencem à classe C (7%). Já a classe A é apontada como a que menor apresenta desconfiança com relação aos imunizantes.

Percepção em relação à vacinação

Quase todos os entrevistados entendem que é preciso manter os cuidados mesmo após a imunização. (Fonte: Summit Saúde 2021/Reprodução)
Quase todos os entrevistados entendem que é preciso manter os cuidados mesmo após a imunização. (Fonte: Summit Saúde 2021/Reprodução)

Outro questionamento importante dessa pesquisa é sobre a percepção em relação à vacinação. Dos entrevistados, 95% responderam que os cuidados com a saúde (como uso de máscara e protocolos de higiene) devem continuar mesmo após a imunização.

Uma grande porcentagem de pessoas também reagiu positivamente em relação a afirmativas como “vacina boa é vacina no braço” (78%), e sobre não ligar para qual laboratório produz o imunizante que está sendo ministrado (75%).

Considerações finais

Essas foram apenas alguns questionamentos apresentados na pesquisa sobre o futuro da imunização na era pós-pandemia. As perguntas também envolveram outras vacinas, como a da gripe, a vacinação dos filhos e a percepção em relação às empresas, e ao retorno do trabalho presencial.

Por isso, vale a pena conferir a apresentação completa dos resultados e ainda as outras palestras do Estadão Summit Saúde, o maior evento do segmento no Brasil. A programação acontece até o dia 22 de outubro, abordando temas relevantes para quem se interessa pela área da saúde. As inscrições ainda estão abertas e são gratuitas. 

Não perca nenhuma novidade sobre a área da saúde no Brasil e no mundo. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Estadão Summit Saúde 2021.

Este conteúdo foi útil para você?

105810cookie-checkQual é o futuro da imunização na era pós-pandemia?