Saúde pública: Brasil e Reino Unido iniciam cooperação bilateral

27 de setembro de 2019 3 mins. de leitura
serão disponibilizados 14 milhões de libras para aprimoramento de ações de saúde pública no Brasil

Com o objetivo de financiar melhorias na área de saúde em países em desenvolvimento, o governo britânico lançou em Londres o programa Saúde Melhor. Durante o evento de lançamento, foi anunciado que, por meio desse projeto, serão disponibilizados £ 14 milhões (cerca de R$ 75 milhões) para ações em saúde pública no Brasil.

Luiz Henrique Mandetta, Ministro da Saúde, participou do lançamento e comentou que “o sistema de saúde inglês tem historicamente um nível muito elevado de gestão e organização. Esse trabalho será feito para proporcionar essa troca de expertise. Na atenção primária, eles são muito fortes. Na parte de epidemiologia, em resistência a antibióticos, eles também são muito fortes”.

O que é o Saúde Melhor?

O programa Saúde Melhor é ligado ao Prosperity Fund, um fundo de cooperação entre nações criado no Reino Unido em 2015 com o ideal de contribuir com os objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). Países como México, África do Sul, Malásia, Filipinas, Tailândia, Vietnã e Mianmar também receberão fundos do projeto.

Não é a primeira vez que Brasil e Reino Unido colaboram de forma similar. De acordo com informações da Embaixada Britânica, outras parcerias de disponibilização de recursos do Prosperity Fund já foram feitos para diferentes áreas, como clima, ciência e inovação.

Como funcionará a colaboração?

Os recursos, que deverão ser liberados em até quatro anos, serão executados de forma direta pelo governo britânico. Aqui, técnicos brasileiros e britânicos formarão parcerias de trabalho para juntos construírem ações na saúde pública em áreas definidas como prioritárias e estratégicas.

Essas áreas serão atenção primária à saúde; uso de tecnologias digitais e incorporação de padrões internacionais de uso de dados; e evolução de ciclos de pesquisa e inovação para a incorporação de novas tecnologias e políticas baseadas em evidência, segundo informações divulgadas pelo Ministério da Saúde.

No que a colaboração impactará?

A colaboração tem como principal objetivo aprimorar as ações em saúde pública, como o próprio ministro declarou em outra ocasião: o funcionamento da atenção primária à saúde é essencial para que o Sistema Único de Saúde (SUS) tenha uma boa performance. Ainda no evento em Londres, Mandetta afirmou que “Será muito importante essa troca de experiência e de saberes com o sistema de saúde inglês, no qual nosso SUS é inspirado, um sistema público e universal”.

Fontes: Ministério da Saúde, GOV. UK, British Embassy Brasilia.

Gostou? Compartilhe!