Vacina brasileira contra o coronavírus conquista apoio da Finep

12 de setembro de 2020 4 mins. de leitura
Cronograma segue acelerado para iniciar testes no Brasil ainda neste ano

O Brasil está um passo mais próximo de ver a chegada de uma vacina contra o coronavírus sendo desenvolvida e produzida em território nacional. Isso porque o estudo, liderado pela empresa brasileira de biotecnologia Farmacore, acaba de receber o apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Conheça o Summit Saúde, um evento que reúne as maiores autoridades do Brasil nas áreas médica e hospitalar.

A instituição pública é voltada ao financiamento de pesquisas, e seu apoio será um importante passo para avançar o desenvolvimento da vacina brasileira contra a covid-19. O estudo deve, em breve, receber também a aprovação para financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o que vai ajudar no processo de testes necessários antes de submeter a vacina para a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Parceria entre tecnologia de ponta e pesquisa

Pesquisa avança no Brasil com auxílio de tecnologia dos EUA. (Fonte: Shutterstock)

A Farmacore, localizada em Ribeirão Preto (SP), desenvolve o fármaco em parceria com a PDS Biotechnology Corporation, uma empresa de Nova Jérsei, nos Estados Unidos. A instituição estrangeira contribui com a plataforma patenteada Versamune, uma tecnologia avançada de nanopartículas para estimular a ativação de células T (ou linfócitos) responsáveis pela resposta imune do organismo.

A parte mais importante no desenvolvimento de uma vacina é o isolamento de uma proteína do vírus, que vai ser responsável por “ensinar” o organismo a reagir contra a infecção. E é daí que parte a pesquisa da Farmacore, através da proteína recombinante Sars-CoV-2, criada pela empresa a partir do coronavírus. O resultado é a vacina denominada Versamune-CoV-2FC.

O ritmo de pesquisa e produção segue o caráter emergencial que se espera durante uma pandemia, então o cronograma se mostra acelerado. As empresas planejam realizar testes pré-clínicos até outubro deste ano, com os testes clínicos acontecendo no primeiro trimestre de 2021. Se tudo correr conforme o planejado, a produção em larga escala começaria no segundo semestre de 2021.

Esforço global contra a pandemia

Vacina brasileira estimula ainda mais a resposta imune do organismo. (Fonte: Shutterstock)

Em janeiro deste ano, Helena Faccioli, CEO da Farmacore, falou sobre a corrida mundial que tem sido a busca por uma vacina contra a covid-19 e comentou a parceria com a PDS Biotechnology. Em declaração ao GlobeNewswire, ela afirmou: “Essa é uma pandemia global, o que requer um esforço global. Ao unir forças com nossa parceira PDS Biotech, acreditamos que podemos acelerar substancialmente nossos esforços de desenvolvimento para oferecer uma vacina eficaz contra a covid-19, induzindo uma gama mais ampla de respostas imunes para as pessoas”.

Faccioli se mostrou bastante otimista com o “diferencial” que a vacina de sua empresa vai apresentar. A Versamune-CoV-2FC é capaz de “formar um combo” para ajudar o organismo a ter uma resposta imunológica mais potente. “Essa é uma inovação importante para diferenciar essa vacina daquelas que estão sendo testadas, pois, ao mesmo tempo em que induz a produção de anticorpos pelo mecanismo do antígeno da proteína do vírus – imunidade adaptativa –, reforça sobremaneira a resposta imunológica diretamente no sistema de defesa celular – defesa inata –, formando um poderoso ‘combo’, em uma inovação científica de extremo valor”, declarou a executiva ao site Saúde Business.

Acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: Saúde Business, FINEP e GlobeNewswire

Gostou? Compartilhe!