Câncer: conheça as novas tecnologias de combate a tumores

14 de fevereiro de 2022 3 mins. de leitura
Novas tecnologias de combate ao câncer permitem o tratamento de tumores com menos efeitos colaterais para os pacientes

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

A tecnologia sempre foi uma grande aliada da medicina no combate ao câncer. Novas terapias continuam surgindo, propiciando mais efetividade para eliminar ou reduzir tumores, com menos efeitos colaterais para os pacientes.

Duas técnicas, utilizadas nos Estados Unidos e na Europa há 10 anos com resultados animadores, agora estão disponíveis no Brasil. Os equipamentos de Cyberknife e Nanoknife aumentam os tipos de tumores que podem ser tratados, com resultados mais rápidos e margens mais seguras.

As terapias já estão sendo realizadas em pacientes brasileiros. Saiba como funcionam as tecnologias e quais resultados estão sendo alcançados no tratamento contra tumores que eram difíceis ou impossíveis de serem tratados.

Tecnologia Nanoknife

Tecnologia amplia tipos de tumores que podem ser operados. (Fonte: Rede D'Or/Reprodução)
Tecnologia amplia tipos de tumores que podem ser operados. (Fonte: Rede D’Or/Reprodução)

O Nanoknife é um procedimento de eletroporação irreversível utilizado especialmente na ressecção de tumores no pâncreas, mas também aplicável a câncer no fígado. Pela presença de vasos importantes, ambos os órgãos são difíceis de operar pelos métodos tradicionais e a recuperação pós-cirúrgica é lenta e com grandes chances de complicações. Além disso, o novo método propicia cirurgias mais seguras. 

Radioterapia com Cyberknife

Equipamento reduz necessidade de sessões de radioterapia. (Fonte: Rede D'Or/Reprodução)
Equipamento reduz necessidade de sessões de radioterapia. (Fonte: Rede D’Or/Reprodução)

A radioterapia é um dos tratamentos mais tradicionais para diversos tipos de câncer, sendo utilizada há mais de 100 anos. Nos últimos 15 anos, a evolução tecnológica se aprimorou, como no caso da Cyberknife, um acelerador linear que produz uma mega voltagem aplicada por um braço robótico que acompanha o movimento de órgãos a partir de inteligência artificial (IA). Isso permite uma maior segurança e precisão, reduzindo os efeitos colaterais do tratamento.

O tratamento tradicional de um câncer de próstata, por exemplo, exige de 18 a 40 sessões. Com a nova técnica, a depender do protocolo, apenas uma aplicação é necessária.

Combate ao câncer

Diagnóstico precoce de tumores continua importante. (Fonte: ColiN00B/Pixabay/Reprodução)
Diagnóstico precoce de tumores continua importante. (Fonte: ColiN00B/Pixabay/Reprodução)

Essas e outras novas tecnologias se somam aos métodos tradicionais de combate ao câncer para melhorar a qualidade de vida dos pacientes. Apesar disso, a identificação no estágio inicial continua como uma importante ferramenta para o tratamento de tumores. 

Houve uma queda acentuada nos exames diagnósticos no início da pandemia, mas a situação está voltando ao normal. Mesmo durante a crise sanitária, é importante diagnosticar precocemente os tumores. 

Quer saber mais? Confira a opinião e explicação dos nossos parceiros especialistas em saúde.

Fonte: Blue Studio Estadão.

Este conteúdo foi útil para você?

119520cookie-checkCâncer: conheça as novas tecnologias de combate a tumores