O maior e mais importante evento de saúde do Brasil.

Conheça o evento
A intolerância pode passar despercebida por médicos e até pelos portadores

A intolerância à lactose ocorre quando o paciente perde total ou parcialmente a capacidade de digerir o açúcar do leite. Acredita-se que 70% da população mundial tenha algum grau de intolerância e desse total 80% nunca recebeu uma diagnóstico médico.

A dificuldade em processar o leite é causada pela falta de uma enzima chamada lactase que é produzida no intestino delgado. Sua finalidade é decompor a lactose em partículas menores, como a glicose, durante a digestão.

É importante diferenciar intolerância da alergia ao leite. Enquanto a primeira é a dificuldade na quebra da enzima do leite, a última é uma reação imediata e exagerada ao consumo da lactose, os sintomas se apresentam em até duas horas após a exposição. A reação alérgica pode ocasionar lábios inchados, coceira, manchas na pele, falta de ar e tosse.

Sintomas

Fonte: Freepik
A presença de lactose no intestino grosso causa retenção de água (Fonte: Freepik)

A intolerância à lactose pode gerar diversos incômodos. Os sintomas mais comuns são cólica, gases, diarreia, azia, dores de cabeça náusea, variando de intensidade dependendo do caso. Pacientes com deficiência grande de lactase podem sentir muito desconforto mesmo com quantidades pequenas de lactose.

Os sintomas podem começar a se manifestar após apenas 30 minutos da ingestão. Os incômodos são piores de acordo com a quantidade e frequência do consumo dos produtos.

Tipos de intolerância

A intolerância à lactose pode se manifestar de três maneiras. A deficiência congênita de produção da enzima lactase é rara, mas alguns recém nascidos, geralmente prematuros, já nascem sem conseguir digerir o açúcar do leite. Nesse caso, o quadro é permanente.

A diminuição enzimática secundária a doenças intestinais é uma condição comum no primeiro ano de vida. A criança tem uma deficiência temporária na produção de lactase por conta da morte de células intestinais. Na maioria dos casos, isso ocorre quando há diarreia constante. A intolerância estende-se até a recomposição das células intestinais, não tendo um tempo exato de resposta.

A deficiência primária ou congênita é o caso mais comum. É o resultado da tendência natural da diminuição da produção da lactase pelo organismo. Normalmente, acontece com o passar dos anos, mas não tem idade exata, qualquer adulto está sujeito a desenvolver a condição.

O paciente, ao perceber os sintomas, deve procurar um especialista. A intolerância pode ser leve, moderada ou severa, isso ocorre porque enquanto algumas pessoas tem apenas baixa na produção de lactase, outras deixam de produzir a enzima.

É preciso ressaltar que existem doenças que podem ser confundidas com a intolerância à lactose, como colite, Doença de Crohn, entre outras.

Diagnóstico e tratamento

Fonte: Freepik
É essencial realizar os exames para comprovar ou não a intolerância(Fonte: Freepik)

Para atestar a intolerância é necessária a realização de exames comprobatórios. Um deles é o de sangue, em que é dado ao paciente uma dose de lactose em jejum e após algumas horas são retiradas amostras de sangue para verificar o nível de glicose.

O teste de hidrogênio não requer extração de sangue. O paciente ingere uma grande quantidade de lactose e seu hálito é checado em intervalos de 15 a 30 minutos por meio da respiração. Se houver aumento de hidrogênio no ar indica que o processo de quebra da lactose não está sendo feito corretamente no organismo.

Ainda é possível realizar um terceiro teste que atesta acidez na fezes. Se não houve processamento correto do açúcar, será atestada a presença de ácidos na fezes.

Não é possível prevenir a intolerância, mas existe a possibilidade de tratamento. Apesar de que a forma mais efetiva de acabar com os desconfortos seja mudando a dieta e excluindo leite e seus derivados da alimentação, já existem alternativas para o consumo desses produtos. Para isso, recomenda-se recorrer ao acompanhamento de um especialista que irá indicar a melhor forma de lidar com os sintomas.

Interessou-se pelo assunto? Conheça o Summit Saúde, um evento que reúne as maiores autoridades do Brasil nas áreas médica e hospitalar. Acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: Hospital Oswaldo Cruz, Hospital Israelita Albert Einstein e Drauzio Varella.