Humanização no atendimento público de saúde

23 de agosto de 2019 3 mins. de leitura
Conheça a importância do acolhimento humanizado para os pacientes.

Cada vez mais tem se falado sobre atendimento humanizado na saúde, particularmente quando se trata de partos. Entretanto, ele não deve ficar restrito à obstetrícia e precisa permear todas as áreas da saúde, em especial no serviço público.

Essa deve ser uma política que envolva toda a estrutura de acolhimento e que passe não apenas pelos médicos mas também por enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, nutricionistas, dentistas, enfim, todos aqueles que cuidarão dos pacientes.

O que é atendimento humanizado?

Pode parecer simples, mas o atendimento humanizado significa tratar as pessoas como indivíduos, reconhecendo que quem está se consultando ou em tratamento tem dúvidas, receios e opiniões que precisam ser ouvidas e levadas em consideração. Esse atendimento deve ser transversal, adotado por todas as pessoas que trabalham com saúde, independentemente de grau hierárquico, para que possa funcionar de forma correta.

Qual é a importância para o paciente?

Quando alguém busca atendimento, muitas vezes se encontra em uma situação de vulnerabilidade e fragilidade. Esses fatores, somados à questão social que impossibilita um atendimento particular, pode causar constrangimento. Um acolhimento humanizado faz com que o paciente se sinta mais confortável e confiante para conversar com os profissionais de saúde, o que ajuda o diagnóstico e um tratamento mais eficaz.

Qual é a importância para a saúde pública?

O Sistema Único de Saúde (SUS) lançou em 2003 a Política Nacional de Humanização (PNH), que busca estimular a comunicação entre gestores, profissionais e usuários do sistema. Alguns dos objetivos dessa política são a diminuição de filas e do tempo de espera para o atendimento, que a consulta seja acolhedora e decidida através de critérios de risco, que garanta os direitos dos pacientes e valorize o trabalho na saúde.

O que é um ambiente humanizado?

Não apenas o acolhimento, mas também as unidades de saúde, os consultórios e hospitais precisam passar por essa transformação. Isso significa a criação de espaços confortáveis, ambientes que priorizem a privacidade dos pacientes e nos quais os profissionais possam trabalhar de forma apropriada. Tanto os usuários do sistema de saúde quanto os trabalhadores precisam sentir que estão em uma estrutura própria e digna.

Como aplicar?

Confira algumas dicas para a aplicação do atendimento humanizado.

  • Chamar as pessoas pelo nome, cumprimentar e olhar nos olhos enquanto fala;
  • Ouvir as dúvidas, os medos e as opiniões do paciente, por mais óbvios que pareçam, sem rir ou fazer pouco caso;
  • Não discriminar ou destratar por conta de religião, sexualidade, cor de pele, peso ou idade;
  • Considerar as particularidades ao fazer o aconselhamento;
  • Utilizar um vocabulário compreensível para leigos e acessível, principalmente com pessoas que tenham baixa escolaridade, para facilitar a comunicação;
  • Falar com gentileza, pois agressividade, impaciência e frieza são bastante perceptíveis e podem ser intimidadoras.

O acolhimento humanizado é um objetivo que precisa ser trabalhado para melhorar a qualidade de vida e o bem-estar de todos, além de propiciar maior eficácia do sistema de saúde.

Curtiu o assunto? Saiba mais sobre inovação e diferentes tecnologias aplicadas à medicina; clique aqui.

Fontes: Ministério da saúde, ABRALE, Secretaria de Saúde do Ceará.

Gostou? Compartilhe!