Março Amarelo: conscientização sobre a endometriose

12 de abril de 2021 4 mins. de leitura
A endometriose atinge cerca de 10% das mulheres jovens e pode afetar a fertilidade de até 50% das pacientes

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

Neste mês, ocorre a campanha mundial do “Março Amarelo”, destinada à conscientização a respeito da endometriose, uma doença que atinge aproximadamente 10% das mulheres em idade fértil, ou seja, cerca de 6 milhões de brasileiras. 

A condição costuma ser comum entre mulheres jovens em período fértil e pode se manifestar logo após a primeira menstruação. A doença acontece devido ao crescimento inadequado do endométrio, tecido que recobre a parte interna do útero e descama na menstruação. 

Quando acontece esse crescimento anormal, o tecido pode migrar e se implantar em órgãos da região pélvica, atingindo principalmente ovários, parte inferior do útero, intestino e bexiga, gerando um processo inflamatório no organismo da mulher.

O principal fator de risco para o desenvolvimento da endometriose, segundo a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), é o histórico familiar. O instituto apresentou dados que indicam um maior risco para mulheres com parentes de primeiro grau com a doença (mãe e irmãs), mas outros fatores podem favorecer a manifestação da doença, como ciclos menstruais irregulares, períodos menstruais muito longos (mais de sete dias de duração), não ter tido nenhuma gravidez e a presença de anomalia uterina.

Principais sintomas e diagnóstico

Um dos principais sintomas são as cólicas menstruais intensas e dor durante a relação sexual, mas também é possível ter dores pélvicas crônicas, sangramento intenso na menstruação, presença de nódulos ou cistos no útero, constipação, dores para urinar ou evacuar, náuseas e vômitos devido à dor intensa.

Por vezes, as dores causadas pela Endometriose podem ser fortes a ponto de serem incapacitantes.
Por vezes, as dores causadas pela endometriose podem ser fortes a ponto de serem incapacitantes. (Fonte: Pexels)

Além disso, vale destacar os números divulgados pela Febrasgo, os quais indicam que até 50% das mulheres portadoras da endometriose podem sofrer com a infertilidade ou apresentar dificuldade para engravidar. Sendo este também um dos principais indícios da doença.

Dessa forma, a partir da análise do quadro clínico da paciente, o diagnóstico é feito pelo ginecologista. Em conjunto, é feito o exame físico de toque vaginal e também costuma ser necessária a ultrassonografia transvaginal ou ressonância magnética.

Tratamento da endometriose

A terapia medicamentosa costuma ser a indicada para o tratamento da endometriose, o que se dá a partir do uso de analgésicos e anti-inflamatórios para diminuir as dores constantes. Além disso, podem ser sugeridos métodos hormonais, como o uso de anticoncepcional ou a colocação do DIU.

Quando os remédios não são efetivos ou em casos mais graves da doença, pode ser necessária a intervenção cirúrgica. O procedimento pode ser feito de forma minimamente invasiva, a partir de técnicas de vídeo, laparoscopia ou cirurgia robótica.

Segundo a Febrasgo, diferentemente do uso de medicamentos, a cirurgia não visa minimizar sintomas. O objetivo da intervenção é realizar a remoção completa dos focos da doença, bem como restaurar a anatomia e preservar a função reprodutiva da mulher.

Ainda vale ressaltar que o tratamento da endometriose é comumente feito por uma equipe multidisciplinar, contando com o auxílio de profissionais como psicólogos. Isso, considerando que se trata de uma doença que afeta diretamente a qualidade de vida da paciente, podendo até mesmo favorecer o desenvolvimento de transtornos psicológicos em virtude dos altos níveis de estresse e situações constantes de desconforto.

A terapia pode ser uma intervenção recomendada para melhorar a qualidade de vida, diminuindo o estresse e ajudando a lidar com a doença. (Fonte: Pexels)
A terapia pode ser uma intervenção recomendada para melhorar a qualidade de vida, diminuindo o estresse e ajudando a lidar com a doença. (Fonte: Pexels)

Não perca nenhuma novidade sobre a área da saúde no Brasil e no mundo. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fontes: Febrasgo.

Este conteúdo foi útil para você?

89670cookie-checkMarço Amarelo: conscientização sobre a endometriose