Meditação e hipnose são ferramentas poderosas contra estresse

30 de junho de 2020 4 mins. de leitura
Estudo norte-americano criou um novo tratamento a partir dessas técnicas

Um estudo organizado pelo Mind-Body Medicine Research Laboratory (MBMRL), da Baylor University, no Texas (EUA), criou um novo protocolo para tratamento de estresse, batizado de mindful hypnotherapy. Trata-se de uma combinação entre técnicas de meditação e hipnose, em que os objetivos da atenção plena são sugeridos ao paciente em meio à sessão de hipnose.

Conheça o Summit Saúde, um evento que reúne as maiores autoridades do Brasil nas áreas médica e hospitalar.

Segundo o coordenador do estudo, o Dr. Gary Elkins, a combinação faz sentido, uma vez que a meditação envolve focar a atenção no momento presente e pode ajudar pessoas a lidar com o estresse, embora possa demandar meses de prática e treinamento. A hipnose, por sua vez, também trabalha com a atenção, mas inclui imagens mentais, relaxamento e sugestões para redução de sintomas.

“Com a vantagem de economizar tempo, ser menos assustador e fácil de praticar, essa pode ser uma opção interessante para tratar a ansiedade e reduzir o estresse”, acrescenta Elkins.

Como funcionou o estudo?

A equipe do Dr. Elkins recrutou 42 voluntários, estudantes da própria universidade, que alegavam ter altas cargas de estresse. Metade deles formou o grupo de controle e a outra se engajou em um programa de tratamento com a hipnoterapia de atenção plena.

Os participantes eram estudantes estressados da universidade (Fonte: Unsplash)
Os participantes eram estudantes da universidade que apresentavam estresse. (Fonte: Unsplash)

O estudo consistia em sessões individuais de hipnose — com uma hora de duração por semana, ao longo de oito semanas — com sugestões para que os participantes desenvolvessem a atenção plena (mindfulness). Além disso, os pacientes receberam áudios de auto-hipnose, com cerca de 20 minutos de sugestões de hipnose, relaxamento e atenção plena, que eles poderiam utilizar diariamente, entre as sessões.

De maneira geral, os conteúdos de auto-hipnose do estudo instruíam os participantes a focar no momento presente, a se conectarem com seus sentimentos e pensamentos sem julgamentos, a prestar atenção nos cinco sentidos, a refletir sobre o sentido da vida e a ter mais compaixão consigo e com os outros. Além disso, falavam sobre a transição para a prática da mindful hypnotherapy a longo prazo.

Os resultados do estudo

Os voluntários que participaram da hipnoterapia de atenção plena relataram uma grande diminuição no estresse ao final das oito semanas. A equipe do Dr. Elkins realizou testes psicológicos com os participantes, antes e depois do tratamento, para comprovar os resultados. Um artigo sobre o estudo foi publicado no International Journal of Clinical and Experimental Hypnosis.

A taxa de comparecimento às sessões foi de 84%, e os participantes se disseram satisfeitos em participar da intervenção, dando uma nota geral de 8,9 (de 0 a 10) para a experiência. Além disso, o artigo afirma que os voluntários tiveram facilidade para praticar a mindful hypnotherapy em casa, pois os conteúdos dos áudios eram bastante claros.

Participantes relataram diminuição no estresse após mindful hypnotherapy (Fonte: Unsplash)
Participantes relataram menos estresse após o estudo. (Fonte: Unsplash)

Segundo o Dr. Elkins, esses resultados são bastante animadores e dão indícios de que a hipnoterapia de atenção plena pode ser uma opção interessante para o tratamento do estresse. A partir de agora, a ideia é fazer novos estudos, com grupos maiores e mais heterogêneos, uma vez que a amostra dessa primeira experiência era limitada aos alunos da Baylor University.

Além disso, os pesquisadores acreditam que é possível melhorar a técnica com o uso de áudios mais curtos e sessões em grupo, o que poderia ajudar na aplicação da hipnoterapia de atenção plena em serviços de saúde com alta demanda. Para os cientistas, uma das principais vantagens da mindful hypnotherapy sobre o mindfulness é justamente tomar menos tempo e exigir um esforço menor dos pacientes.

É interessante observar que esses tratamentos relacionados à saúde mental — conhecidos coletivamente como Práticas Integrativas e Complementares — estão sendo cada vez mais reconhecidos na área da Saúde. Eles são, inclusive, ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e têm uma procura crescente.

Interessou-se pelo assunto? Acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: International Journal of Clinical and Experimental Hypnosis, Baylor University e Science Daily.

Gostou? Compartilhe!