Qual é a importância de uma doula durante a gestação?

23 de março de 2020 5 mins. de leitura
O suporte da doula na gestação auxilia física, emocional e tecnicamente as futuras mães

O processo de humanização do parto deu protagonismo a uma função importante: a de doula. A palavra doula tem origem grega e se traduz por “mulher que serve”, o que explica a função de ajudar grávidas na gestação, no parto e também após o nascimento do bebê.

O “servir” se traduz na função de a doula dar suporte emocional e físico à gestante, mas também de ajudá-la em aspectos como o plano de parto, recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 1986, segundo o manual da Rede Cegonha, uma iniciativa do Ministério da Saúde.

A função de doula já está catalogada no Código Brasileiro de Ocupações (CBO), sob o número 3221-35, e tramita em nível nacional a regulamentação da profissão.

Enquanto isso, em vários estados brasileiros já existe o reconhecimento, e é lei que a gestante possa exigir uma doula durante seu trabalho de parto, tanto em hospitais públicos quanto em privados. Importante salientar que essa decisão independe da escolha de um acompanhante, direito já garantido por lei federal.

(Fonte: Freepik)

Presença da doula na gestação e no parto: benefícios e resultados

Com o lançamento da estratégia Rede Cegonha, em 2011, pelo Ministério da Saúde, se iniciava uma série de ações para garantir o acesso ao parto humanizado. Dentre elas, destacava-se a qualificação de doulas, como forma de melhorar as condições de atendimento seguro e adequado, além de humanizado, pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com o Ministério da Saúde, a presença da doula durante a gestação e o parto é algo acolhedor, e o apoio emocional dado por essas profissionais é bom não somente para a gestante, mas também para seus familiares. E outros resultados são atribuídos à contribuição da doula, além das melhorias na qualidade do atendimento às parturientes.

Em um documento disponibilizado pela Câmara dos Deputados, com resultados de um trabalho organizado por Maíra Libertad Soligo Takemoto — enfermeira, pesquisadora e doutora em Ciências Médicas —, há evidências científicas que comprovam os benefícios do acompanhamento à gestante.

De acordo com o material, intitulado Doulas: definição e benefícios segundo as evidências científicas, o apoio durante o trabalho de parto promove as seguintes vantagens:

  • trabalhos de parto em menos tempo;
  • experiência de parto mais positiva e satisfatória;
  • partos menos dolorosos;
  • menos cesáreas desnecessárias;
  • menor risco de parto com fórceps;
  • recém-nascidos com menos dificuldades respiratórias;
  • menor risco de depressão pós-parto;
  • início mais imediato da amamentação.

O que a doula faz?

A doulagem ainda enfrenta resistência por parte de alguns corpos médicos e responsáveis por sancionar a lei que permite sua presença nos procedimentos de parto. Tanto que não são todos os estados que têm a lei da doula sancionada. Nesses casos, a parturiente precisa optar pelo acompanhante ou pela doula. Parte dessa resistência pode vir da falta de conhecimento mais aprofundado sobre o que a doula faz e o que não é de sua alçada.

(Fonte: Freepik)

Antes do parto

A doula ajuda a gestante a se preparar física e emocionalmente para o parto. Também orienta o casal sobre o que esperar do parto e após o nascimento do bebê. Ela auxilia, de formas variadas, com o plano de parto.

O que é o plano de parto?

O plano de parto é como uma carta de intenções, em que a gestante expressa o que espera ao dar à luz: o atendimento que quer ter, quais intervenções e procedimentos ela aceita, como quer ser tratada e suas expectativas em relação ao processo de nascimento do bebê.

Durante o parto

A doula é uma ponte entre equipe de atendimento e parturiente/casal. Além de suavizar uma possível frieza da equipe médica e de atendentes, ela explica os procedimentos e termos médicos.

A profissional também auxilia a parturiente com a respiração e a encontrar posições mais confortáveis, bem como propõe sugestões para o alívio das dores, como relaxamento, banhos etc.

Mesmo que seja realizada uma cesárea, a doula é importante para ajudar a parturiente a relaxar e ficar mais tranquila durante o procedimento. Aliás, quanto a isso deve ser enfatizado que as doulas não são contra a cesárea em si, mas sim contra o fato de essa alternativa ser imposta ou forçada desnecessariamente.

Após o parto

Nessa fase, a doula oferece apoio com os cuidados com o bebê e ajuda no processo de amamentação.

O que a doula não faz

  • qualquer tipo de procedimento clínico ou médico, como aferição de pressão, administração de medicamentos, toques vaginais e outros;
  • discutir os procedimentos com a equipe;
  • substituir os profissionais da equipe de assistência ao parto;
  • substituir o acompanhante garantido por lei, salvo se for escolha da parturiente.

Para finalizar, é importante entender que doula não é parteira. O seu papel é somente o de oferecer encorajamento, conforto e suporte emocional, físico e informativo à gestante.

Fontes: Rede Humanizada SUS, Blog Ministério da Saúde, Câmara dos Deputados, World Health Organization, Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina.

Gostou? Compartilhe!