Campanhas de vacinação sofrem ataques cibernéticos

18 de junho de 2021 4 mins. de leitura
Páginas falsas roubam dados pessoais e bancários de vítimas, além de atrapalhar a circulação de informações oficiais sobre a pandemia

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

Segundo o relatório Spam and Phishing in Q1 2021, publicado pela empresa de segurança digital Kaspersky, golpes virtuais envolvendo a imunização aumentaram significativamente nos primeiros meses deste ano. 

Além de serem totalmente falsos e sem relação com órgãos oficiais de saúde, os materiais encaminhados por criminosos podem trazer uma série de prejuízos não apenas para as vítimas, mas também para o próprio esquema de vacinação de uma região.

Conhecendo os ataques

Os especialistas em segurança digital encontraram uma série de páginas falsas e e-mails que se passavam por órgãos oficiais do governo ou empresas farmacêuticas com informações, campanhas e até questionários relacionados à pandemia.

O caso mais grave foi identificado no Reino Unido. Em um golpe conhecido como phishing, em que o criminoso imita um site de verdade para roubar dados, usuários eram levados a uma página com o mesmo visual do serviço público de saúde da região para um suposto agendamento da vacinação.

Exemplos de um dos golpes que usa a vacinação como tema.
Exemplos de um dos golpes que usa a vacinação como tema. (Fonte: Kaspersky/Reprodução)

Em vez de confirmar a data da imunização, a vítima tinha que colocar dados pessoais e até bancários em um formulário que era enviado diretamente para os criminosos.

Em outros endereços, após responder a uma pesquisa, o usuário era convidado a transferir uma quantia em dinheiro para liberar prêmios em dinheiro ou medicamentos que não existem de verdade.

Prejuízo até na vacinação

O prejuízo para quem cai nesse tipo de golpe é variado, pois, ao preencher formulários completos, são fornecidas informações que podem ser aplicadas em roubo de identidade, transações bancárias sem autorização e outras modalidades de ataques cibernéticos.

Além disso, ao fazer o download de programas ou baixar anexos suspeitos, a vítima pode ser infectada com ferramentas que coletam ainda mais informações, como senhas de acesso a serviços e contas, podendo até controlar o aparelho remotamente de acordo com a gravidade da infecção.

Campanha real de vacinação fica em risco com alta de golpes virtuais.
Campanha real de vacinação fica em risco com a alta de golpes virtuais. (Fonte: Tânia Rêgo/Agência Brasil/Reprodução)

Porém, os crimes virtuais envolvendo a pandemia podem inclusive prejudicar as campanhas de vacinação, pois as vítimas podem achar que estão agendando a data de recebimento da dose, perdendo prazos oficiais importantes. Outro problema é que essas informações divulgadas nos golpes, que normalmente são falsas, acabam “competindo” pela atenção com as declarações verdadeiras de datas e serviços.

Como se proteger?

De acordo com a Kaspersky, o relatório reforça que é preciso ter cada vez mais cuidado ao consumir conteúdo relacionado à pandemia em meios online.

Por isso, é necessário pensar duas vezes antes de clicar em endereços suspeitos, mesmo aqueles enviados por mensageiros e redes sociais por contatos adicionados. Para se informar ou realizar cadastros, prefira sempre as fontes primárias de informação, como páginas e perfis de governos e prefeituras.

Além disso, no caso de ferramentas online, baixe somente aplicativos oficiais nas lojas de celular recomendados pelas autoridades, como o Meu DigiSUS do Ministério da Saúde, por exemplo, ou variações que dependem da cidade 

Não perca nenhuma novidade sobre a área da saúde no Brasil e no mundo. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Kaspersky.

Este conteúdo foi útil para você?

95650cookie-checkCampanhas de vacinação sofrem ataques cibernéticos