Como monitorar sintomas de doenças a distância

9 de setembro de 2020 4 mins. de leitura
Governo de São Paulo procura soluções para monitoramento de sinais vitais a distância por conta da pandemia do coronavírus

Com a pandemia provocada pela covid-19, frequentar consultórios médicos e hospitais se tornou um risco de ser infectado, mas os profissionais de saúde responsáveis por acompanhar pacientes em estado grave não podem evitar a exposição e o risco de contrair a enfermidade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o percentual de infectados na categoria está entre 8% e 10%.

Conheça o Summit Saúde, um evento que reúne as maiores autoridades do Brasil nas áreas médica e hospitalar.

Dessa forma, encontrar maneiras de monitorar os sintomas de pacientes à distância pode ser uma forma de ampliar o atendimento sem colocar em risco enfermeiros, médicos, técnicos e demais trabalhadores dos sistemas de saúde. A tecnologia tem uma importante contribuição nesse sentido, mas as soluções precisam ser aplicadas de acordo com cada realidade.

Para identificar ferramentas inovadoras, o governo de São Paulo abriu um edital para inscrição de ideias em tecnologias, produtos, processos e serviços, integrados ou não, bem como projetos de inovação voltados ao aumento da eficiência da operação hospitalar e à segurança dos profissionais de saúde no combate à covid-19.

Diminuição de custos e riscos de infecção

Profissional de saúde
Ao acompanhar pacientes internados, profissionais de saúde estão expostos à covid-19. (Fonte: Shutterstock)

A rotina é desgastante e custosa para o sistema de saúde, além de aumentar o risco de infecção por coronavírus. Para que um profissional possa acessar um leito hospitalar, são necessárias a paramentação e a desparamentação completas; além disso, há gastos com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) no hospital.

Para tanto, a chamada do governo de São Paulo tem como objetivo a adoção de soluções inovadoras baseadas em tecnologias para monitorar sinais vitais, equipamentos multiparamétricos e aparelhos auxiliares na recuperação do paciente em unidade de tratamento intensivo (UTI) ou enfermaria, inclusive com capacidade de operar bombas de infusão e ventiladores de maneira remota, inteligente e integrada.

As propostas selecionadas pelo edital serão encaminhadas para instituições como Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFM/USP), Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo (SES), Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) e Companhia de Processamento de Dados de São Paulo (Prodesp).

Tecnologias que podem ser aplicadas

As soluções precisam ser replicáveis em equipamentos de diferentes fabricantes e gerações. A gestão de dados deve conectar todas as informações em uma plataforma única, com possibilidade de integração com hardwares e softwares externos com base nos conceitos de Internet das Coisas (IoT). A ferramenta necessita ser capaz de gerar relatórios customizáveis, para permitir a análise de informações a partir de modelos inteligentes e automatizados.

A plataforma precisa ser acessível e de fácil uso por diversos níveis de profissionais, com desenvolvimento escalável e potencial de execução em massa. A solução deve ter foco no usuário, com produção replicável por diferentes provedores de saúde, considerando as infraestruturas disponíveis em cada local.

Principais benefícios

Soluções tecnológicas na saúde
Edital impulsiona soluções tecnológicas para serem aplicadas nos sistemas público e privado. (Fonte: Shutterstock)

O edital prevê como principais benefícios a orientação e o apoio na implantação de projetos pilotos, além de uso de infraestrutura laboratorial. As soluções poderão ser aplicadas em ambientes de uso real para validação no Hospital das Clínicas e em outros órgãos.

A chamada também prevê a aceleração de negócios para startups e pequenas e médias empresas selecionadas. Os envolvidos poderão contar com a articulação de potenciais fornecedores e parceiros para contratação e escalonamento da produção para as apresentações validadas pelo programa.

O governo de São Paulo dará suporte para expansão nacional e internacionalização das soluções implantadas, realizando a conexão com fontes de financiamento público e privado. Dessa forma, as criações poderão ser adotadas por órgãos do governo, sendo expostas na publicidade utilizando o Estado de São Paulo como vitrine de iniciativas tecnológicas de sucesso.

Acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: Ideia Gov.

Gostou? Compartilhe!