Pinterest está combatendo boatos antivacinas

30 de setembro de 2019 3 mins. de leitura
Busca nas redes sociais por palavras-chave relacionadas a vacinas levam a informações incorretas

A internet pode ser excelente para buscar novas informações e aprender, mas também pode ser uma fonte de boatos e fake news. Por isso, o Pinterest decidiu mostrar informações científicas e educativas sobre vacinas e a sua importância para a saúde quando alguém faz uma busca por palavras-chave relacionadas ao tema.

No início do ano, a companhia já tinha dado um passo no combate a informações falsas simplesmente não mostrando resultados sobre vacinação, já que não era possível filtrar e banir todos os conteúdos antivacina da rede. Os usuários ainda podem fixar conteúdos que encontram na internet nos painéis da rede social, mas qualquer informação sobre imunização não é distribuída para outros usuários

(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Agora, além de não ver resultados antivacina, quem buscar por termos como “sarampo” ou “segurança da vacina” encontrará informações vindas de organizações científicas, como Organização Mundial da Saúde (OMS), Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Academia Americana de Pediatria (AAP) e Rede de Segurança de Vacinas (VSN). Por enquanto, a nova ferramenta está disponível apenas para pesquisas feitas em inglês na web e no aplicativo mobile do Pinterest para iOS e Android.

O posicionamento da empresa aconteceu porque as buscas por conteúdos sobre vacina mostravam principalmente imagens alertando contra a prática. Mas essa não é uma batalha exclusiva do Pinterest, já que outras redes sociais como YouTube, Facebook e Twitter também tiveram problemas relacionados a informações sem embasamento científico.

O YouTube parou de mostrar anúncios nos conteúdos, mas ainda permite esse tipo de material na plataforma. No Facebook, a decisão foi remover grupos e páginas que compartilham desinformações sobre vacinação. E o Twitter agora apresenta dados do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos sempre que as pessoas pesquisam sobre o assunto, o que é semelhante à atualização do Pinterest.

(Fonte: Pinterest/Reprodução)

“É melhor não disponibilizar esses resultados do que levar as pessoas a recomendações que são como uma toca do coelho”, disse o gerente de políticas públicas e impacto social do Pinterest, Ifeoma Ozoma. Não é a primeira vez que a companhia opta por um caminho ousado, mesmo que isso resulte em ocultar resultados para seus usuários.

Buscas por palavras-chave como “suicídio”, “bulimia” ou “mutilação” levam à seguinte mensagem: “Você está lutando contra um distúrbio alimentar? Ajuda está disponível” ou mostram resultados que direcionam para a Linha Direta Nacional de Prevenção ao Suicídio dos Estados Unidos.

Curtiu o assunto? Saiba mais sobre inovação e diferentes tecnologias aplicadas à medicina; clique aqui.

Fonte: The Verge.

Gostou? Compartilhe!