Pulseiras inteligentes registram dados para melhorar o sono

30 de setembro de 2019 2 mins. de leitura
Mais uma amostra bem-sucedida do uso da tecnologia em prol da saúde e do bem-estar

Em meio a uma rotina cada vez mais estressante e corrida, é normal que muitas pessoas tenham problemas para dormir. Pensando nisso, diversas companhias que são referência no setor de tecnologia têm trabalhado para resolver esse problema, que é comum a uma grande parte da população mundial, e pulseiras inteligentes para monitorar o sono das pessoas têm se tornado cada vez mais populares, trazendo diversos benefícios.

Como funcionam as pulseiras inteligentes

Basicamente, esse tipo de tecnologia funciona por meio de um monitoramento contínuo do usuário enquanto ele dorme. Na presença de qualquer irregularidade ou indicativo de problema, o aparelho faz um levantamento completo da situação para entender quais são os motivos mais comuns que dificultam o sono. Para isso, as pulseiras inteligentes analisam fatores como qualidade e quantidade de sono por noite, quanto tempo dura cada estágio do sono, o ambiente e dados gerais de saúde do cliente.

A partir disso, é possível identificar se os problemas para dormir estão associados a fatores externos ou a condições de saúde específicas. Muitas pessoas que utilizam essa tecnologia descobrem problemas como ronco, bruxismo, sonambulismo e apneia do sono, levando dados concretos para que um profissional qualificado ajude a encontrar a melhor solução para as dificuldades apontadas.

Em prol de uma vida melhor

Os distúrbios do sono fazem parte de uma ciência complexa, e as pulseiras inteligentes são grandes aliadas para garantir uma qualidade de vida melhor por meio de um sono reparador. Mais simples do que um exame de sono, porém tão eficazes quanto, esses aparelhos têm se mostrado cada vez mais eficientes em ajudar as pessoas a encontrarem soluções para seus problemas com máxima eficiência.

Curtiu o assunto? Saiba mais sobre inovação e diferentes tecnologias aplicadas à medicina; clique aqui.

Fontes: Tuck, No Sleepless Nights.

Gostou? Compartilhe!