Apendicite: veja as causas, como tratar e identificar a doença

28 de setembro de 2021 4 mins. de leitura
A inflamação do apêndice é uma doença em que o atraso do diagnóstico pode agravar o quadro

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

A apendicite é a inflamação do apêndice, uma pequena parte interna do corpo humano, que tem formato de tubo e cerca de 10 cm de comprimento. Ele fica localizado próximo da região de encontro entre o intestino delgado e o intestino grosso, ao qual está diretamente conectado.

Médicos e cientistas de todo o mundo ainda não sabem dizer exatamente qual é a função desse pequeno órgão, sendo esse um dos maiores mistérios da anatomia humana. Entretanto, se sabe que a apendicite é uma inflamação perigosa, que pode até colocar em risco a vida da pessoa. 

A localização do apêndice no corpo humano. (Fonte: Shutterstock/Kateryna Kon/Reprodução)
A localização do apêndice no corpo humano. (Fonte: Shutterstock/Kateryna Kon/Reprodução)

O que gera a apendicite?

As causas da inflamação da pequena parte do corpo são diversas, entre elas estão: 

  • obstrução; 
  • cálculos biliares;
  • bactérias, fungos, parasitas e adenovírus (como sarampo e mononucleose);
  • pólipos.

A obstrução do apêndice pode ocorrer por conta de um fecalito (pedaço de fezes endurecido), alimentos que não foram bem digeridos (como sementes e pipocas) e corpos estranhos.

Inscreva-se agora para o mais relevante evento de saúde do Brasil. É online e gratuito!

Sintomas da apendicite

O principal e primeiro sinal da inflamação do apêndice é uma dor aguda, descrita como “vinda do nada”. A dor começa pela região do umbigo e, normalmente, vai se intensificando para o lado inferior direito do abdômen, bem próximo da virilha. Porém, a dor também pode acontecer mais no meio do abdômen ou na região abdominal inferior. 

Fora a dor local, a apendicite também pode causar:

  • cólicas na região da boca do estômago;
  • enjoo, náuseas e vômito;
  • febre, que normalmente não passa muito de 38 ºC;
  • perda de apetite;
  • diarreia ou prisão de ventre;
  • barriga distendida.
A forte dor na região abdominal inferior direita é o principal alerta de apendicite. (Fonte: Shutterstock/Pixel-Shot/Reprodução)
A forte dor na região abdominal inferior direita é o principal alerta de apendicite. (Fonte: Shutterstock/Pixel-Shot/Reprodução)

Como tratar a apendicite

Caso a dor aguda abdominal dure mais de 12 horas, com a passagem da dor para o lado direito do abdômen, é importante procurar um atendimento médico para diagnosticar a razão dos sintomas. Caso seja diagnosticada a inflamação do apêndice, a melhor solução é a remoção cirúrgica do pequeno órgão. 

Entretanto, é possível fazer um tratamento medicamentoso por meio de antibióticos, que tem uma taxa de efetividade de três em cada dez pacientes, sendo mais aconselhado fazer a antibioticoterapia e a intervenção cirúrgica.

A cirurgia, opção mais aconselhada e efetiva, pode acontecer de duas maneiras: a laparotomia, que é um corte na região abdominal inferior, servindo para abrir o abdômen e fazer a remoção do apêndice; e a videolaparoscopia, uma opção menos invasiva, feita a partir de câmeras e com corte menor.

A opção por vídeo deixa apenas duas pequenas cicatrizes na região abdominal. (Fonte: Shutterstock/Mikhailov Studio/Reprodução)
A opção por vídeo deixa apenas duas pequenas cicatrizes na região abdominal. (Fonte: Shutterstock/Mikhailov Studio/Reprodução)

A importância da cirurgia e do diagnóstico rápido

Um diagnóstico atrasado da inflamação no apêndice pode agravar o quadro, podendo até criar um risco de óbito. Algumas das consequências desse agravamento são: 

  • acúmulo de pus;
  • fístula, uma conexão anormal entre os órgãos;
  • obstrução intestinal;
  • perfuração do pequeno órgão;
  • peritonite, o vazamento de fezes para dentro do abdômen; 
  • sepse, uma infecção bacteriana na corrente sanguínea.

Segundo a Rede D’Or São Luiz, o principal risco de um diagnóstico tardio e do atraso na remoção cirúrgica do apêndice é o rompimento por conta do pus. Caso isso aconteça, o líquido pode causar uma infecção, que pode se tornar generalizada e colocar a vida do paciente em risco. Dessa forma, todo cuidado é pouco na hora de tratar e identificar uma apendicite.  

Não perca nenhuma novidade sobre a área da saúde no Brasil e no mundo. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Rede D’Or São Luiz, Tua Saúde, PEB Med.

Este conteúdo foi útil para você?

102960cookie-checkApendicite: veja as causas, como tratar e identificar a doença