Pneumonia: quais são as principais causas e os fatores de risco

12 de março de 2020 4 mins. de leitura
As pneumonias são causadas por bactérias presentes no ar, e a questão é: como elas invadem nossos pulmões?

Muitas pessoas acreditam que a pneumonia acomete apenas idosos e crianças; contudo, também é bastante comum haver casos em pessoas jovens e aparentemente saudáveis. Isso ocorre porque existem muitas causas para a doença e diversos fatores de risco que precisam ser observados.

Em primeiro lugar, é interessante explicar o que é a pneumonia. De maneira geral, são infecções que inflamam os alvéolos, estruturas do pulmão nas quais ocorrem as trocas gasosas. Para que o ar entre em contato com o sangue e a respiração ocorra de forma eficiente, os alvéolos precisam estar extremamente livres; a pneumonia ocorre quando algum corpo estranho invade esse espaço.

(Fonte: Wikimedia Commons)

Esses corpos estranhos geralmente são bactérias, sendo as da espécie streptococcus pneumoniae as mais comuns, mas outros microrganismos, como fungos, podem invadir os pulmões e causar a doença. As pneumonias virais também são muito comuns, principalmente em crianças, embora sejam menos severas e tenham recuperação mais rápida.

Os microrganismos causadores da pneumonia estão presentes no ar que respiramos, embora seja incomum a transmissão por uma pessoa doente. Se eles estão no ar, como prevenir a pneumonia? O próprio corpo faz o trabalho, expulsando os invasores, porém algumas situações podem contribuir para que eles vençam nossas defesas e causem complicações.

Fatores de risco

Não existe pneumonia sem agente externo, como bactérias ou vírus, mas os casos só costumam acontecer em um “ambiente favorável”, quando não conseguem ser combatidos pelas próprias defesas do organismo. Sendo assim, de maneira geral, eles atingem principalmente pessoas com o sistema imunológico fragilizado, por isso a doença é especialmente comum em idosos e em crianças com menos de cinco anos de idade.

Existem vários outros fatores que podem tornar uma pessoa de qualquer idade suscetível às pneumonias: estar hospitalizado (em especial se estiver respirando por aparelhos) e ter doenças crônicas (como asma) ou qualquer outra questão de saúde que prejudique as defesas do organismo (como uma gripe).

Fumar e beber em excesso também danifica os mecanismos que o corpo utiliza para se defender das bactérias causadoras da pneumonia. Entre essas defesas estão os pelos do nariz, que ajudam a filtrar o ar que respiramos, removendo impurezas como bactérias e vírus. O sistema de proteção também pode ter seu funcionamento comprometido por mudanças bruscas de temperatura, embora isso seja menos comum.

white cigarette stick on white wall
(Fonte: Unsplash)

Sintomas e tratamento da pneumonia

Os principais indicadores da doença são fadiga além do normal, dificuldade para respirar, tosse com catarro e dor no peito ao respirar ou tossir. Pessoas acima dos 65 anos de idade podem também apresentar confusão mental e temperatura do corpo excessivamente baixa. Já os bebês e as crianças podem demorar para apresentar algum sintoma externo, demandando mais atenção a qualquer alteração física.

Como o maior problema que essa doença causa é afetar a respiração, uma pneumonia mal tratada pode levar a óbito. Outra complicação é a entrada das bactérias no sistema sanguíneo, levando a infecção para outros órgãos.

Entretanto, caso seja diagnosticada e tratada rapidamente, a pneumonia não oferece sérios riscos e não costuma demandar internação, ao contrário do que muitas pessoas pensam, com esse tratamento sendo indicado apenas para os idosos ou caso o paciente esteja em sofrimento com algum sintoma da doença, como dificuldade para respirar. Caso contrário, a pessoa pode tomar os medicamento em casa e restabelecer a saúde em pouco tempo.

A medicação depende do microrganismo que gerou a enfermidade. Como as pneumonias bacterianas são as mais comuns, naturalmente antibióticos são prescritos para tratá-las. Para prevenir a pneumonia, recomenda-se manter uma vida saudável, de modo que o sistema imunológico esteja sempre pronto para combater as bactérias causadoras da doença, e evitar bebida alcoólica em excesso e cigarros. Por fim, é essencial tratar completamente quaisquer doenças respiratórias, como resfriados, gripes ou infecção pelo novo coronavírus.

Fontes: Drauzio Varella, Mayo Clinic, American Lung Association, Fiocruz.

Gostou? Compartilhe!