Quais são as formas de prevenção contra ISTs?

21 de fevereiro de 2020 5 mins. de leitura
Existem diversos tipos de ISTs, e elas podem ser adquiridas de diferentes formas. Por isso, todo cuidado é essencial

Desde 2016, o Ministério da Saúde adotou a nomenclatura IST (infecção sexualmente transmissível), em vez da tradicional DST. Isso porque o termo doença sugere que existam sintomas visíveis na pessoa infectada, enquanto a palavra infecção admite que também há problemas assintomáticos.

Dito isso, é importante observar que nem todas as ISTs são causadas pelo mesmo tipo de transmissor: algumas são geradas por bactérias, outras por vírus ou parasitas.

Sendo assim, a forma de lidar com cada uma delas também pode mudar: desde infecções menos graves, que podem ser tratadas com antibióticos, até a Aids, que não tem cura. De maneira geral, o uso do preservativo sempre é recomendado, mas há vacinas para algumas ISTs.

(Fonte: Shutterstock)

Formas de prevenção e tratamento

Aids (HIV)

HIV é a sigla em inglês para o vírus da imunodeficiência humana, causador da Aids, doença crônica que interfere no sistema imunológico. O uso de preservativo em todas as relações sexuais vaginais ou anais é a forma mais simples e eficiente para evitar o contato com o vírus. Outra forma de prevenção do HIV, que tem se tornado mais conhecida nos últimos tempos, é a PrEP (Profilaxia Pré-Exposição): um comprimido tomado diariamente, que impede o vírus HIV de infectar o organismo.

Mesmo em relacionamentos estáveis é recomendado manter o preservativo, uma vez que o parceiro pode adquirir o vírus de outra pessoa, de diversas maneiras: sexo fora do relacionamento, compartilhamento de seringas (comum em usuários de drogas ilegais) ou uso de piercings e instrumentos hospitalares ou de manicure não esterilizados. Além disso, de acordo com a Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (ABIA) o risco de infecção pelo sexo oral é baixíssimo, porém pode aumentar caso haja ejaculação na boca.

HPV

Essa é a sigla em inglês do “papiloma vírus humano”, conhecido por causar o câncer do colo do útero. Existem mais de 100 tipos de HPV, que podem provocar diversas enfermidades e afetar também os homens. Entre os problemas mais comuns, estão também as verrugas genitais e o câncer de ânus.

O vírus pode ser adquirido pelo contato com a pele ou mucosa infectada. Dessa maneira, pode haver infecção até mesmo durante as preliminares. Por isso, além da camisinha, é indicada a vacina para prevenção do HPV. O ideal é que ela seja tomada no início da puberdade, antes de o indivíduo começar sua vida sexual, tanto para meninos quanto para meninas.

Hepatites virais

Hepatite é um termo genérico para qualquer degeneração do fígado, causada por razões diversas, como abuso de álcool. Contudo, alguns tipos — como a hepatite A, B e C — são geradas por vírus e podem ser transmitidas pelo sexo; os tipos B e C são passados, principalmente, pelo sangue. Como essas infecções costumam ser assintomáticas, os pacientes descobrem que as possuem quando fazem algum teste, por acaso. O mais indicado é sempre usar preservativos e ter cuidado com instrumentos que possam ter contato com sangue, como alicates de unha e lâminas de barbear. Para o tipo B, existe vacina.

condom packs
(Fonte: Unsplash)

Clamídia

A clamídia é causada por uma bactéria, a Chlamydia trachomatis, transmitida pelo sexo (oral, vaginal ou anal) e costuma ser assintomática. Contudo, caso não seja diagnosticada e tratada rapidamente, pode causar uma série de complicações mais graves, como inflamações na pélvis ou na próstata, problemas nas trompas e até mesmo infertilidade. O tratamento é feito com antibióticos, receitados pelo médico de acordo com o quadro do paciente.

Sífilis

Essa IST também é causada por bactérias. No caso, a Treponema pallidum. Se o tratamento não for rápido, a bactéria pode se espalhar pelo corpo e causar problemas como AVC, surdez, demência e meningite. A prevenção deve ser feita com o uso de preservativos. Caso haja feridas nas mucosas, a sífilis pode ser transmitida pelo beijo, porém essa forma é rara.

Gonorreia

Causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, é transmitida quando existe contato sexual com uma pessoa infectada. Como em todos os casos, o uso de preservativo é indispensável. O tratamento, geralmente, é feito com antibióticos. Caso você tenha qualquer sintoma — como pus na região genital ou dor ao urinar —, procure um médico imediatamente.

Outras ISTs

O sexo desprotegido pode causar muitas outras infecções. Existem diferentes bactérias e microrganismos nas mucosas e na região genital do corpo humano, que podem provocar uma série de problemas.

Embora as formas de contágio sejam bastante variadas, de maneira geral é possível se prevenir contra praticamente todas as ISTs se o sexo for seguro. Além disso, vale a pena manter-se sempre informado e disseminar conhecimento para as pessoas da sua convivência; afinal, informação também é um modo de prevenção.

Fontes: Secretaria de Saúde de São Paulo, Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids, Ministério da Saúde.

Gostou? Compartilhe!