Tratamento humanizado ajuda a promover a saúde de idosos

29 de julho de 2020 4 mins. de leitura
saber ouvir e respeitar as opiniões de pacientes idosos, entre outras ações, pode resultar em melhorias

O processo de envelhecimento requer cuidados específicos com a saúde, que podem ser oferecidos por meio de atendimento humanizado. Mais de 28 milhões de brasileiros têm mais de 60 anos de idade, segundo projeção de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Até 2050, o número de idosos pode passar de 66 milhões.

Conheça o Summit Saúde, um evento que reúne as maiores autoridades do Brasil nas áreas médica e hospitalar.

Apesar dessa tendência, somente 30% das empresas em todo o planeta estão planejando ações voltadas a esse público, de acordo com levantamento da revista The Economist. Enquanto isso, a digitalização de serviços, inclusive na saúde, continua avançando. Em 2019, o comércio eletrônico cresceu 22,7% no Brasil e deve aumentar, em 2020, outros 21%, segundo previsão do Movimento Compre & Confie.

A pandemia do novo coronavírus acelerou a mudança de comportamento com maior utilização do meio digital, e a população idosa foi o grupo que sofreu o maior impacto, por ter nascido antes da introdução dessas tecnologias e muitas vezes ter dificuldade em utilizá-las. Nesse sentido, o tratamento humanizado deve ser realizado, ainda que intermediado por aparelhos eletrônicos.

Tratamento humanizado

Humanização no atendimento de saúde ajuda a aumentar a adesão do paciente ao tratamento. (Fonte: Shutterstock)

A humanização nas consultas é desenvolvida a partir da habilidade dos profissionais da área da saúde em valorizar e prestar atenção no paciente para oferecer uma terapia eficaz e digna. O atendimento tem como eixos centrais o cuidado individualizado e a transmissão de sentimentos de confiança, segurança e apoio para aumentar a adesão ao tratamento.

O paciente e seus familiares devem estar sempre informados sobre o quadro geral da situação de saúde, bem como dos resultados de exames e da evolução das terapias adotadas. Todos os procedimentos a serem conduzidos pela equipe de saúde devem ser explicados de maneira clara e acessível, considerando o estado emocional dos envolvidos.

A maior participação dos pacientes nos procedimentos clínicos fortalece a saúde mental, o que pode ajudar na melhoria do estado geral. Com o foco nas reais necessidades dos enfermos, a humanização pode ter uma importante contribuição no processo de cura e na recuperação mais rápida.

Diretrizes do tratamento de idosos

Mesmo com a telemedicina é possível aplicar técnicas de humanização, como chamar o paciente pelo nome e ouvir suas necessidades. (Fonte: Shutterstock)

A humanização no tratamento é essencial em todas as faixas etárias, mas pessoas acima de 60 anos precisam de uma atenção especial pelas inúmeras fragilidades, como doenças e limitações com as quais não estavam acostumadas. Por isso, idosos tendem a estar mais sensíveis quanto a questões de saúde.

O atendimento precisa abrir espaço para o paciente expressar seus pensamentos, e o profissional de saúde deve buscar criar empatia, entendendo as necessidades e dificuldades apresentadas. O tratamento deve ser conduzido sempre com respeito e paciência, para que a pessoa se sinta acolhida e valorizada.

A comunicação precisa ser clara, evitando termos muito técnicos e rebuscados, principalmente porque muitos idosos podem ter problemas auditivos. E é importante não interrompê-los com frequência, ainda que um direcionamento possa ser necessário para a conclusão e o encaminhamento do atendimento.

HumanizaSUS

Para promover boas práticas no atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), em 2003 foi criada a Política Nacional de Humanização (HumanizaSUS), que tem como princípios a valorização de pacientes, trabalhadores e gestores do setor de saúde para promover mudanças na gestão e no atendimento da rede.

A legislação busca promover responsabilidade compartilhada, criação de vínculos solidários e participação coletiva nos processos de administração. Com essas medidas, o objetivo é fortalecer as redes de apoio para o enfrentamento de ações consideradas desumanizadoras, como filas, longos tempos de espera e acesso limitado à saúde.

O HumanizaSUS deve oferecer atendimento focado nas necessidades dos cidadãos para a construção de um SUS mais acolhedor, eficiente e com maior capacidade de resolução de situações. Por meio da articulação dos processos, a política busca promover qualificação do ambiente e melhoria das condições de trabalho e de assistência.

Interessou-se pelo assunto? Acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: IClinic, Ministério da Saúde e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Gostou? Compartilhe!