Saúde mental: uso da internet durante lockdown auxilia idosos

21 de junho de 2021 3 mins. de leitura
Pesquisa sugere que conexão deve ser utilizada principalmente para comunicação, sendo capaz de reduzir sintomas de depressão

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

As medidas de distanciamento social ou ações mais rígidas de lockdown para reduzir os números de afetados pela covid-19 prejudicam a sociabilidade, especialmente em idosos — e isso pode gerar consequências negativas à saúde mental dessas pessoas.

Felizmente, há uma forma bastante simples de, ao menos, amenizar esses efeitos e ainda manter a cabeça ocupada durante a pandemia. Segundo um estudo publicado no periódico científico Healthcare, um dos fatores que podem auxiliar a contornar a situação é o uso de forma equilibrada da internet.

Companhia virtual

A pesquisa foi publicada pelos pesquisadores Anna-Stiina Wallinheimo e Simon Evans, da University of Surrey, no Reino Unido, e envolveu 3.491 pessoas com idade entre 55 e 75 anos nos estudos.

A principal conclusão obtida é de que o uso frequente da internet nessa faixa etária traz benefícios para a saúde mental do usuário, com o registro de maior qualidade de vida e menos sintomas relacionados à depressão.

Para medir isso, na pesquisa foi gerado um índice chamado Quality of Life (QoL), sendo que os números maiores indicavam uma melhor percepção sobre qualidade de vida. 

O índice de qualidade de vida (indicando pela barra em azul) aumenta entre a população mais velha que usa a internet com frequência.
O índice de qualidade de vida (indicado pela barra em azul) aumenta na população mais velha que usa a internet com frequência.

Nos resultados, pessoas que relataram o uso frequente da internet uma vez por dia ou mais apresentaram menos sintomas de depressão e redução nos impactos provenientes do tempo de isolamento. 

Isso foi notado de forma ainda mais aguda na população mais idosa, sendo que os maiores índices de qualidade de vida foram registrados nos voluntários que acessam serviços de mensagens e comunicação — como aplicativos de conversa e videochamadas, por exemplo. Ao manter contato com parentes e amigos, mesmo que digitalmente, a sensação de isolamento é reduzida.

Use com moderação

Entretanto, a ideia não é que as pessoas mais velhas passem o dia inteiro em frente ao computador ou celular. O mesmo estudo também detectou que a utilização exagerada de meios digitais pode ter o efeito contrário.

Segundo os pesquisadores, utilizar a internet principalmente para buscar informações sobre saúde e serviços do governo durante a pandemia é uma atividade associada a sintomas de depressão. 

Uma correlação não foi confirmada, mas os cientistas acreditam que esse fator está relacionado às preocupações geradas durante o consumo de notícias sobre a pandemia, já que a situação segue grave em muitas regiões.

Usar a internet para se comunicar é mais eficiente no aumento da qualidade de vida entre pessoas mais velhas.
Usar a internet para se comunicar é mais eficiente no aumento da qualidade de vida entre pessoas mais velhas. (Fonte: Freepik)

Ainda que preliminar e feito com uma base relativamente reduzida de entrevistados, o estudo apresenta reflexões importantes e sugere estratégias de adoção da internet pela população mais velha — algo que pode partir até mesmo de parentes mais novos ou de iniciativas do governo. 

Entretanto, para que os benefícios sejam atingidos integralmente enquanto os efeitos da pandemia seguem graves, os fatores mais garantidos da manutenção dessa qualidade de vida são continuar em casa se possível e estar online para entrar em contato com outras pessoas. O estudo completo pode ser conferido no site da revista Healthcare.  

Não perca nenhuma novidade sobre a área da saúde no Brasil e no mundo. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Healthcare.

Este conteúdo foi útil para você?

95870cookie-checkSaúde mental: uso da internet durante lockdown auxilia idosos