Teste rápido para detectar coronavírus é criado pela USP

16 de fevereiro de 2021 3 mins. de leitura
Teste desenvolvido pela USP é mais barato que os de farmácia e revela anticorpos de pessoas vacinadas

A Universidade de São Paulo (USP) anunciou, em 21 de janeiro, a criação de um novo teste rápido para a detecção de covid-19 em seres humanos. O Teste Popular de Covid-19 foi criado pelos pesquisadores do Instituto de Química de São Carlos (IQSC) e anunciado no pela própria universidade, por meio do site Jornal da USP. 

O estudo recebeu financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O Teste Popular de Covid-19 deve receber a aprovação da Anvisa. (Fonte: Karla Castro/Jornal da USP/Reprodução)
O Teste Popular de Covid-19 deve receber a aprovação da Anvisa. (Fonte: Karla Castro/Jornal da USP/Reprodução)

O novo teste rápido

O novo dispositivo custa apenas R$ 30 e foi criado para facilitar a testagem no País. A invenção do IQSC é quase cinco vezes mais barata que as utilizadas em farmácias, as quais custam cerca de R$ 140. Além de mostrar se a pessoa tem covid-19 ou não, a tecnologia é capaz de revelar se há anticorpos gerados pela vacina

Segundo Frank Crespilho, professor do IQSC e coordenador da pesquisa, o teste criado por eles funciona de forma similar aos feitos nas farmácias. Entretanto, Crespilho defende que a invenção do instituto é mais barata, mais rápida, usa menos reagente e é 100% brasileira. 

Crespilho afirmou, em entrevista ao Jornal da USP, que as pesquisas da universidade precisam pensar nos brasileiros e produzir ciência de alto nível.

Como funciona o Teste Popular de Covid-19

O dispositivo faz a análise de uma gota de sangue retirada do paciente, fazendo a busca por anticorpos para a doença causada pelo novo coronavírus. O exame é de fácil execução e não demanda estrutura laboratorial. As validações feitas mostraram que o resultado sai após, aproximadamente, 10 minutos. 

O preço baixo do teste é consequência da otimização na quantidade de insumos do material e do uso de nanopartículas para localizar os anticorpos. 

Essas nanopartículas são produzidas pelo próprio IQSC e têm uma molécula sonda, que fica vermelha quando entra em contato com algum anticorpo. Ela foi fornecida ao instituto graças a uma parceria com a empresa brasileira de biotecnologia BioLinker. 

A possibilidade de mostrar a presença de anticorpos ou não também auxiliará os órgãos de saúde brasileiros a identificar como está evoluindo a resposta imunológica nas pessoas que receberam uma ou duas doses da vacina contra a covid-19

Em território brasileiro, a vacinação contra a covid-19 começou no dia 19 de janeiro deste ano. (Fonte: Shutterstock/BaLL LunLa/Reprodução)
Em território brasileiro, a vacinação contra a covid-19 começou no dia 19 de janeiro deste ano. (Fonte: Shutterstock/BaLL LunLa/Reprodução)

Segundo os pesquisadores, o Teste Popular de Covid-19 já está pronto para produção em larga escala e deve estar disponível para comercialização em até dois meses, faltando apenas a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para começar a ser produzido.

Conheça o maior e mais relevante evento de saúde do Brasil

Fonte: Medicina S/A, Jornal USP.

Este conteúdo foi útil para você?

84880cookie-checkTeste rápido para detectar coronavírus é criado pela USP