Covid-19: obesidade está diretamente ligada à taxa de mortalidade

3 de abril de 2021 3 mins. de leitura
Estudo confirma que sobrepeso está relacionado ao desenvolvimento de casos graves de covid-19

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

Com o desenvolvimento das pesquisas, cada vez mais é possível descobrir quais são os fatores de risco que podem deixar uma pessoa mais propensa a desenvolver um caso grave de covid-19. Um estudo recente apresentou que a obesidade tem uma forte ligação com as complicações mais graves geradas pelo vírus.

A pesquisa foi feita pela World Obesity Federation (Federação Mundial de Obesidade), uma entidade associada à Organização Mundial de Saúde (OMS) e que reúne as 50 maiores sociedades mundiais sobre o assunto.

O trabalho visa destacar o excesso de peso como um fator de risco sério para aqueles que contraírem covid-19. Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS, acredita que o estudo é um alerta para os governos do mundo todo que precisam entender a seriedade da correlação entre a obesidade e a mortalidade pela covid-19.

A necessidade de ventilação está seriamente ligada à obesidade. (Fonte: Shutterstock/New Africa/Reprodução)
A necessidade de ventilação está seriamente ligada à obesidade. (Fonte: Shutterstock/New Africa/Reprodução)

O estudo feito pela World Obesity

A pesquisa publicada pela entidade no começo de março recebeu o nome de Covid-19 and the Obesity: the 2021 Atlas e utilizou como referência bibliográfica artigos produzidos em vários países, como Brasil, China, Estados Unidos, França e muitos outros.

O trabalho apresentou que a obesidade, para os pacientes acometidos com a doença causada pelo Sars-CoV-2, tem a capacidade de aumentar a gravidade do caso, estando diretamente relacionada à necessidade de ventilação, ao tempo de hospitalização e UTI, como também às chances de mortalidade.

Um dos fatos apresentados pelos pesquisadores é o de países com altos índices de obesidade apresentarem as maiores taxas de mortalidade por covid-19. Os números apresentam que, até o momento do estudo, 2,2 milhões, das 2,5 milhões de mortes por Sars-CoV-2, ocorreram em países com altas taxas de excesso de peso.

Para exemplificar isso, é possível comparar a situação dos Estados Unidos com a do Vietnã. No país norte-americano, que a taxa de obesidade é de 67,9% e foram contabilizadas 152,49 mortes a cada 100 mil habitantes. Já no Vietnã, com uma taxa de somente 18,3%, apresentou-se apenas 0,04 mortes a cada 100 mil habitantes, sendo a mais baixa de todo o planeta.

Como lidar com a situação?

Ainda não se sabe qual é a relação direta entre o excesso de peso e o aumento dos riscos, mas é necessário ressaltar que a obesidade é considerada uma doença crônica.

Dessa forma, é preciso estar atento a ela assim como a qualquer outra enfermidade, inclusive tomando precauções quando o assunto é a covid-19

Exercício físico e uma alimentação saudável são ações importantes para combater a doença crônica. (Fonte: Shutterstock/Fit Ztudio/Reprodução)
Exercício físico e uma alimentação saudável são ações importantes para combater a doença crônica. (Fonte: Shutterstock/Fit Ztudio/Reprodução)

Por isso, entre as recomendações estão: investir em uma alimentação balanceada, fazer exercícios e, em casos específicos, usar medicamentos que podem auxiliar na diminuição dos índices de excesso de peso, os quais são prejudiciais para a saúde.

Não perca nenhuma novidade sobre a área da saúde no Brasil e no mundo. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: World Obesity, Forbes.

Este conteúdo foi útil para você?

89120cookie-checkCovid-19: obesidade está diretamente ligada à taxa de mortalidade