Cirurgia robótica: conheça o primeiro Da Vinci X usado no Brasil

10 de junho de 2021 4 mins. de leitura
Equipamento de última geração fica em Belo Horizonte e permite que uma equipe médica realize cirurgias menos invasivas com precisão

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

O Orizonti — Instituto Oncomed de Saúde e Longevidade conta com novo membro em sua equipe médica. Ele tem quatro braços, uma câmera de alta definição que registra imagens em 3D e uma especialização que vai desde cirurgia geral até procedimentos mais específicos. Trata-se do Da Vinci X, um equipamento robótico completo e com tecnologia de ponta que pode ser utilizado por equipes médicas em cirurgias de alta precisão.

Ele foi adquirido pelo Instituto Cirurgia Robótica Ciências Médicas de Minas Gerais (CRCM-MG) em parceria com o Instituto Orizonti, ambos ficam em Belo Horizonte. Essa é a primeira unidade do Da Vinci X em atuação no Brasil.

Um colega de respeito

Em funcionamento, o robô atua como um sistema cirúrgico completo, capaz de atuar em diversas frentes e de garantir mais segurança ao paciente. Graças aos instrumentos de precisão e às tecnologias de reprodução de imagem, os médicos podem realizar cirurgias complexas com as mesmas características de uma operação normal, porém de forma menos invasiva, ou seja, até mesmo com menos incisões.

Alguns detalhes dos braços do Da Vinci X, que utiliza recursos de alta tecnologia.
Alguns detalhes dos braços do Da Vinci X, que utiliza recursos de alta tecnologia. (Fonte: Instituto Orizonti/Reprodução)

Como o procedimento é mais preciso, até mesmo o pós-operatório é mais tranquilo para o paciente. Além de diminuir a chance de complicações, o uso do robô permite que a pessoa passe menos tempo internada, reduzindo a utilização de medicação para dor e cicatrização.

Ao todo, o sistema do Da Vinci X é composto de três módulos: o console de controle utilizado pelo cirurgião principal, o suporte para câmera, os braços robóticos — que são comandados pelo médico — e um equipamento de visualização de imagens em alta definição para toda a equipe.

Minimamente invasivo

Vale ressaltar que, apesar da alta tecnologia envolvida, todo o procedimento e as decisões na cirurgia robótica são tomadas pela equipe humana presente na sala. No momento da operação, o médico operador fica posicionado no console principal com os dedos polegar, indicador e médio introduzidos em um dispositivo que comanda os braços do sistema.

Os membros robóticos agem com enorme liberdade, imitando os movimentos de uma mão humana, porém com maior precisão e capaz de utilizar instrumentos de forma mais segura e precisa. Já as câmeras exibem em tempo real imagens de alta definição com ampliação de até dez vezes sem perder a qualidade.

O módulo dos braços do robô pronto para uso em operações.
O módulo dos braços do robô pronto para uso em operações. (Fonte: Instituto Orizonti/Reprodução)

A utilização do equipamento é feita por uma equipe exclusiva, que é capaz de realizar múltiplos atendimentos por dia. Já o cirurgião responsável pelo manuseio deve obter uma certificação que garante o domínio de todas as funções do modelo. 

No Orizonti, o robô pode ser utilizado em cirurgia geral e em especialidades como ginecologia, urologia, cardiologia e coloproctologia, entre outras.

O Sistema Cirúrgico Da Vinci X para uso em território nacional foi adquirido oficialmente em fevereiro de 2021 e disponibilizado para procedimentos a partir do mês seguinte. A compra é considerada uma conquista para as partes envolvidas e um avanço na tecnologia aplicada à medicina no País.

Não perca nenhuma novidade sobre a área da saúde no Brasil e no mundo. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Instituto Orizonti, CMMG.

Este conteúdo foi útil para você?

94580cookie-checkCirurgia robótica: conheça o primeiro Da Vinci X usado no Brasil