Quais são as chances de uma nova pandemia de H1N1?

26 de março de 2021 4 mins. de leitura
Em 2009, o vírus H1N1, conhecido como gripe suína, rapidamente causou uma crise sanitária internacional

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

A pandemia de H1N1, também conhecida como gripe suína, atingiu o mundo todo em 2009. A doença não foi tão catastrófica quanto a covid-19, mas tirou a vida de 2.098 brasileiros. Estudos recentes mostraram que uma nova peste suína está matando animais pelo mundo e relembra o começo da Influenza A. 

A peste suína africana

Batizada de peste suína africana (PSA), a doença matou, em 2019, um quarto dos porcos de todo o mundo. O novo vírus afetou porcos e javalis ao redor do mundo, conseguindo sobreviver por meses dentro do hospedeiro infectado e sendo altamente contagioso. 

A China é a região que mais sofreu com a PSA, perdendo metade da população suína do país. O vírus já está espalhado por diversas regiões, como Ásia, África e Europa. Por enquanto, os estudos revelam que a nova doença não pode infectar humanos. Entretanto, a possibilidade do vírus sofrer uma mutação está preocupando as entidades.

A PSA obrigou pessoas a sacrificar porcos e javalis em várias regiões do mundo para tentar vencer a doença. (Fonte: Shutterstock/Dusan Petkovic/Reprodução)
A PSA obrigou pessoas a sacrificar porcos e javalis em várias regiões do mundo para tentar vencer a doença. (Fonte: Shutterstock/Dusan Petkovic/Reprodução)

Como a PSA chegaria aos humanos?

A preocupação dos cientistas é de que os porcos, que são as principais vítimas da PSA, gerem novas variantes da influenza. Isso porque eles podem entrar em contato com gripes de humanos, aves e outros animais, o que pode acabar misturando as variantes das doenças. 

Portanto, uma possível nova pandemia de H1N1 envolveria o porco, que acabaria funcionando como um hospedeiro e promoveria a mutação entre a peste suína e a Influenza A. 

Vale lembrar que se alguém contrair a gripe suína atualmente, provavelmente sentirá apenas sintomas leves de uma gripe comum e naturalmente passaria. 

Porém, se ocorrer uma mutação entre as duas variantes, pode ser possível que os seres humanos sejam infectados pela PSA. Isso geraria uma doença ainda mais letal e uma nova crise sanitária internacional, levando em consideração o quão contagiosa é a peste e o tempo que ela fica no hospedeiro infectado. 

A pandemia de 2009

Estima-se que os primeiros casos da gripe suína aconteceram no México e nos Estados Unidos. Ainda que a lembrança das pessoas faça mais referência aos períodos de isolamento, que aconteceram entre junho e agosto de 2009 no Brasil, a pandemia só foi declarada vencida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em agosto de 2010. 

Durante os 12 meses de duração, os dados apresentados pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) estimam que a gripe suína causou entre 151 mil e 575 mil mortes em todo o planeta. 

Em terras brasileiras, o Instituto de Medicina Tropical da USP fez um estudo, com base nos dados do Ministério da Saúde, que apresentou 53.797 casos confirmados da Influenza A e 2.098 pessoas mortas pelo vírus. 

A vacina foi a principal solução para vencer a Influenza A em 2009 e 2010. (Fonte: Shutterstock/Sherry Yates Young/Reprodução)
A vacina foi a principal solução para vencer a Influenza A em 2009 e 2010. (Fonte: Shutterstock/Sherry Yates Young/Reprodução)

De momento, não existem maiores preocupações sobre a possibilidade do PSA infectar os seres humanos. Porém, a existência da doença alerta sobre a conexão entre as ações humanas e as doenças que acabam surgindo e afetando todas as espécies.

Não perca nenhuma novidade sobre a área da saúde no Brasil e no mundo. Inscreva-se em nossa newsletter.

Fonte: Poder 360, BBC News.

Gostou? Compartilhe!