Como se manifesta o lúpus?

24 de março de 2022 4 mins. de leitura
Pacientes com a doença podem ter uma vida normal se tiverem o devido acompanhamento médico

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

O lúpus afeta aproximadamente 65 mil brasileiros, de acordo com uma estimativa divulgada pela Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR). A doença pode provocar complicações graves nos rins, no cérebro, nos pulmões, no sangue e no coração, levando à morte. No entanto, até 90% dos pacientes têm uma expectativa de vida normal caso a condição seja controlada com o tratamento adequado.

O que é o lúpus?

Pacientes com lúpus podem apresentar manchas vermelhas na pele. (Fonte: Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro/Reprodução)
Pacientes com lúpus podem apresentar manchas vermelhas na pele. (Fonte: Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro/Reprodução)

Lúpus é uma doença autoimune crônica que pode causar inflamações e dor em todo o corpo. A função do sistema imunológico é combater possíveis ameaças ao organismo; no caso das doenças autoimunes, porém, o sistema de defesa pode comprometer os tecidos saudáveis do organismo. Os tipos da doença são classificados em:

  • lúpus eritematoso sistêmico (LES) — tipo mais comum da doença, com sintomas que podem atingir diversos órgãos;
  • lúpus discoide — provoca sensibilidade ao sol e erupções na pele, podendo evoluir para a condição sistêmica;
  • lúpus induzido por drogas — podem ter muitos dos mesmos sintomas do LES, mas geralmente é temporário e desaparece com a suspensão de medicamentos;
  • lúpus neonatal — condição rara em crianças que herdam anticorpos da mãe quando a doença ocorre na gravidez.

Quais são os sintomas do lúpus?

O lúpus tem uma grande variedade de sintomas que também podem ser indicativos de outras condições médicas. Às vezes, os sinais podem ser leves ou imperceptíveis, o que significa que a doença está em remissão; outras vezes, o paciente pode experimentar sintomas graves da doença em surtos ou ondas que afetam a vida diária.

Os principais sintomas são:

  • dor nas articulações;
  • dor muscular;
  • erupções cutâneas;
  • febre;
  • sensibilidade à luz solar;
  • perda de cabelo;
  • fadiga.

Leia também:

Reumatologista: saiba mais da função e seus desafios

Por que o estudo de células é importante para a saúde?

Cientistas fazem mapeamento genético de sistema imunológico

O que causa o lúpus?

As causas ainda não são conhecidas, mas alguns fatores genéticos podem contribuir para o desenvolvimento da doença. (Fonte: Qimono/Pixabay/Reprodução)
As causas ainda não são conhecidas, mas alguns fatores genéticos podem contribuir para o desenvolvimento da doença. (Fonte: Qimono/Pixabay/Reprodução)

A causa do lúpus é atualmente desconhecida. A doença não é contagiosa nem pode ser transmitida de uma pessoa para outra. Mesmo que a origem exata não seja conhecida, existem fatores que podem influenciar a condição, como:

  • alterações hormonais — mulheres durante os anos reprodutivos (com idade entre 15 e 44 anos), quando os níveis de estrogênio são mais altos, têm maior risco de desenvolver a doença;
  • fatores ambientais — exposição ao sol ou a vírus, medicamentos, tabagismo e até mesmo estresse podem ser possíveis causas dessa enfermidade;
  • genética — a ocorrência de lúpus entre familiares aumenta o risco de ocorrência da patologia.

Como o lúpus é diagnosticado?

O processo de diagnóstico pode ser longo e difícil. Os sinais da doença podem se sobrepor aos de outras condições, como diabetes e artrite. Os sintomas também podem levar tempo para se desenvolver, aumentando o desafio da identificação.

Além da verificação do histórico familiar e dos sintomas, exames laboratoriais podem ser realizados para verificar anormalidades como baixa contagem de células sanguíneas e anemia. Fator antinúcleo (FAN) ou anticorpos antinúcleo (ANA) são ferramentas importantes para confirmar o diagnóstico da doença autoimune.

Como o lúpus é tratado?

Atualmente não há cura para o lúpus. A doença é crônica e precisa ser tratada regularmente. O objetivo é fazer os sintomas entrarem em remissão, limitando a quantidade de danos que a doença causa aos órgãos. Entre os medicamentos utilizados no tratamento, estão anti-inflamatórios, antimaláricos, corticoides e imunossupressores.

O lúpus é imprevisível, e a forma como a condição afeta o paciente pode mudar ao longo do tempo. Por isso, é necessário visitar regularmente o médico e adaptar o plano de cuidados para que corresponda aos sintomas. 

Engravidar na fase ativa da doença não é recomendado. Também é importante evitar os fatores que funcionam como gatilhos para a resposta autoimune do organismo, como sol, uso de estrógenos e de outros medicamentos, além de estresse. 

Fonte: Tua Saúde, Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), Ministério da Saúde.

Este conteúdo foi útil para você?

120940cookie-checkComo se manifesta o lúpus?