O que leva pessoas a ter paralisia do sono?

31 de maio de 2022 5 mins. de leitura
Distúrbio do sono afeta qualidade de vida e merece atenção médica

Conheça o maior e mais importante evento do setor de saúde do Brasil.

Os distúrbios do sono afetam um grande número de pessoas. De acordo com a pesquisa O sono dos brasileiros, realizada pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), em conjunto com a biofarmacêutica Takeda, a estimativa é de que 65% da população conviva com a baixa qualidade de sono. Entre os problemas mais comuns está a paralisia do sono, um transtorno que acontece no início do adormecimento ou quando a pessoa está começando a acordar.

Normalmente, a situação é uma consequência de hábitos de sono pouco constantes, privação de sono e excesso de estresse, atingindo principalmente pessoas entre 20 e 30 anos de idade.

O que é a paralisia do sono?

De acordo com o estudo, o momento em que o transtorno acontece é entre o estado de sono e vigília. De maneira resumida, durante a paralisia do sono a mente humana está acordada, mas o corpo não é capaz de responder.

Dessa forma, a pessoa fica com a sensação de estar presa no próprio corpo, não conseguindo falar ou se mover, mas tendo consciência de estar acordada.

O estresse é um dos grandes causadores da paralisia do sono. (Fonte: Gorodenkoff/Shutterstock/Reprodução)

Em outras palavras, a pessoa está em um estado de desconexão ou descontinuidade de funções motoras, perceptivas, emocionais ou cognitivas. Junto à paralisia, existe o efeito terror, que pode ser dividido em três tipos: intruso, experiência corporal incomum e íncubos.

Leia também:

No primeiro, além de não conseguir se mexer, a pessoa tem a sensação de que alguém estranho está no ambiente. Alguns casos também são acompanhados de alucinações visuais e auditivas, aumentando o sentimento de medo.

No segundo, gera ilusões como flutuar, sair do corpo ou se ver dormindo, também se somando a situações de alucinação. No terceiro, o íncubos, causa paralisia, sensação de pressão no peito e de falta de ar na pessoa.

Por que a paralisia do sono acontece?

Ainda não existe um consenso sobre as causas do transtorno, mas alguns estudos apontam para a hipótese da falta de sincronia entre as mudanças de resposta cerebral e a atonia muscular na transição da fase Movimento Rápido dos Olhos (REM), que é o momento de maior ação do tálamo, com uma atividade semelhante ao de estar acordado.

Por se tratar de uma possível falha de comunicação, a pessoa volta a ter consciência cerebral enquanto o corpo ainda está dormindo, fazendo que os movimentos demorem a voltar, causando a paralisia do sono.

As alucinações que acontecem durante o transtorno são causadas pela entrada ou saída abrupta da fase REM do sono.

O cansaço é um dos principais sintomas de alguém que está lidando com o transtorno. (Fonte: Josep Surya/Shutterstock/Reprodução)

Efeitos traumáticos

Por gerar um sentimento de terror e medo, a paralisia do sono pode acabar gerando consequências traumáticas para o indivíduo, fazendo que ele entre em um estado de ansiedade ou medo de dormir.

Dessa maneira, é comum que as pessoas afetadas com frequência pela paralisia apresentem bastante cansaço, insônia, baixa qualidade de sono, falta de concentração e memória, diminuição de desempenho no dia a dia e até efeitos emocionais, como baixa motivação e afastamento social.

Entretanto, ainda que cause bastante medo pelas alucinações de falta de ar, pressão e afins, a paralisia do sono não coloca o paciente em risco de vida, visto que o organismo funciona normalmente durante a crise do transtorno.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico de paralisia do sono pode ser feito apenas com o relato do paciente ou, em alguns casos específicos, por meio de um exame de polissonografia, que monitora as respostas do organismo enquanto o paciente está adormecido.

A principal forma de tratamento para esse transtorno é corrigir os hábitos de sono. Além disso, recomenda-se:

  • dormir entre seis horas e oito horas por dia;
  • tentar adormecer e acordar nos mesmos horários;
  • evitar o consumo de energéticos, cafés e refrigerantes antes de dormir.

Em casos mais graves, é aconselhado buscar um tratamento em conjunto com neurologista ou psiquiatra, para tratar os gatilhos que estão gerando a paralisia do sono.

Quer saber mais? Confira a opinião e a explicação dos nossos parceiros especialistas em Saúde.

Fonte: Tua Saúde, Instituto do Sono, Science Daily, Summit Saúde Estadão

Este conteúdo foi útil para você?

128730cookie-checkO que leva pessoas a ter paralisia do sono?